25 abril 2018

À procura do par perfeito - Jennifer Probst | Resenha


Linda, talentosa e apaixonada por seu trabalho, Kennedy é sempre estilosa, e sua imagem transmite feminilidade, confiança e profissionalismo. Quem a vê nem imagina sua adolescência difícil e uma vida inteira de luta contra o peso. Coach e consultora da famosa agência de relacionamentos Kinnection, Kennedy cria dates incríveis, encoraja solteiros a brilharem, e nunca recusa um desafio – nem mesmo Nate Ellison Raymon Dunkle, cujas iniciais são N.E.R.D! Ele é engenheiro aeroespacial, um gênio, e o mais novo cliente de Kennedy, que vai trabalhar sua mágica para transformá-lo de desajeitado e mal vestido no mais desejado gato de Verily. Quando ela se dá conta de que ela e Nate são muito parecidos e podem ser perfeitos juntos, será que ela vai permitir que seu coração entre no caminho certo? Ou seus próprios medos e inseguranças vão condená-la a uma vida de solteira enquanto ajuda Nate a encontrar outra pessoa?
Romance | 272 páginas | Editora Paralela 

Desde que tive meu primeiro contato com a escrita da Jennifer Probst, imaginei que ela seria uma daquelas autoras que consegue fazer a gente sempre amar suas obras, e não foi diferente com mais este volume. Se você quiser ler algo divertido e leve, sem medo de se decepcionar, as obras dessa autora são uma ótima opção.

Kennedy é uma das sócias da Kinnections, a agência de relacionamentos que ajuda seus clientes a encontrar o par perfeito. Ela é a responsável pelos encontros e pela aparência deles, já que manter uma boa imagem nos encontros é vital para que à procura por alguém se torne mais fácil. Mas isso não é levado muito a sério por Nate Ellison Raymond Dunkle, apelidado carinhosamente de N.E.R.D. Ele é um engenheiro aeroespacial que está procurando uma mulher para casar e formar uma família, mas seu jeito de homem inteligente e desleixado não tem dado muito certo nos encontros, na verdade, ele tem assustado todas as mulheres com quem tem se encontrado e Kennedy está disposta a mudar isso.

Com algumas visitas as lojas de roupas e um salão de cabelo, o nerd engenheiro vira um homem sexy e muito irresistível, pronto para encontrar sua futura esposa. O problema é que Nate passou a gostar de Kennedy e quer ela em sua vida, mas a consultora de relacionamentos foge de qualquer amarra pois sente que tem muitos problemas internos para resolver. E agora, será que os dois irão admitir que se querem e dar um fim a essa confusão, ou vão seguir caminhos separados?

Como disse acima, eu amo os livros da Jennifer e À procura de alguém me encantou completamente. Primeiramente porque Nate é um dos personagens mais fofos que eu já conheci. Seu jeito nerd pode ser sexy ás vezes ou extremamente maçante, e é justamente sua falta de tato com as mulheres que faz com que sua busca pela ideal demore muito mais do que ele imagina. Mas não pensem que só de nerdice vive o cara, ah não, ele sabe ser muito sexy e sedutor quando quer, só precisa de alguma deixa da Ken para que isso aconteça.
Foto por Uma Leitora

Compartilhe:

23 abril 2018

Como aproveitar o Dia Mundial do Livro?

Hoje, dia 23/04 é comemorado o Dia Mundial do Livro e este post não poderia ser mais que especial já que se tem uma coisa que a gente ama nesse mundo, é livros! Infelizmente esse dia tão importante para mim e para você não é considerado feriado (totalmente injusto), e calhou de cair bem numa segunda-feira (detestável), por isso vou dar umas dicas de como você pode aproveitar esse dia em grande estilo \o/ Se liga aí.

Compartilhe:

22 abril 2018

Nova Colaboradora: Apresentação

Olá pessoal, tudo bom? Aqui, quem escreve à vocês, é a nova colaborado do Suddenly Things e é através desse post que venho me apresentar.

Meu nome é Aline Bettú Bechi, mas vocês podem me chamar de Ally. Tenho 18 anos, sou de Santa Catarina, gosto de escrever contos e sou completamente apaixonada pelo meu curso: Faço faculdade de Letra (Trilíngue - Português, inglês e espanhol) porque, para mim, é fascinante compartilhar conhecimento e meu amor pela língua e literatura não podia ficar restrito, eu queria estudar sobre elas. Gosto muito de fotografar, me cobro demais e sou fã de Star Wars.

Agora que vocês já sabem um pouco mais sobre mim, vamos ao que interessa: Afinal, o que vou fazer no Suddenly Things? Qual minha intenção ou proposta?
Bom, vocês já sabem que irei escrever resenhas a publicações relacionadas a livros e literatura.
Eu conheço o blog há algum tempo e vejo que o foco daqui é romance, jovem adulto, hot, romance de época... 

É claro que leio alguns desses gêneros, não sou nenhuma Hater de livros doces e românticos (ou quentes), adoro um romance água com açúcar, principalmente se for infanto-juvenil, mas o que eu amo de verdade é thriller, suspense, terror, policial, fantasia e é isso que venho fazer aqui no Suddenly Things.

Resenhar é um prazer para mim, existe coisa melhor que conversar sobre livros? E é através de resenha que eu faço isso, e compartilho sempre a minha opinião sincera (e pense em alguém sincera).
Vocês, que já gostam do gênero e querem ler cada vez mais dele, venho trazer indicações. E para quem é louco pelo romance e não chega nem perto de suspense ou terror: Meu objetivo aqui é convencer vocês a darem oportunidades para o gênero, e claro, apreciar ele tanto quanto eu. Vou convencer vocês!

É claro que não vou jogar só resenhas aqui e pronto. Quero, principalmente no começo, orientar as pessoas de como começar a ler esse gênero, porque sei que pode ser um desafio. Então terá resenha, indicação de livros, dicas do que ler e como ler thriller e terror entre outros posts. Haverá uma diversidade de posts (com foco nas resenhas), e de certa forma estarei dando uma variada no blog, já que estarei trazendo novos gêneros para cá.

É isso pessoal, espero que gostem de mim e do meu conteúdo. Qualquer dúvida, elogio e reclamação é só entrar em contato. Podem me adicionar no skoob, ou me acompanhar no instagram. Eu também tenho um Bookstagram. Beijos ♥

Compartilhe:

Na ilha - Tracey Garvis Graves | Resenha


Anna Emerson é uma professora de inglês de 30 anos desesperada por aventura. Cansada do inverno rigoroso de Chicago e de seu relacionamento que não evolui, ela agarra a oportunidade de passar o verão em uma ilha tropical dando aulas particulares para um adolescente. T.J. Callahan não quer ir a lugar algum. Aos 16 anos e com um câncer em remissão, tudo o que ele quer é uma vida normal de novo. Mas seus pais insistem em que ele passe o verão nas Maldivas colocando em dia as aulas que perdeu na escola. Anna e T.J. embarcam rumo à casa de veraneio dos Callahan e, enquanto sobrevoam as 1.200 ilhas das Maldivas, o impensável acontece. O avião cai nas águas infestadas de tubarão do arquipélago. Eles conseguem chegar a uma praia, mas logo descobrem que estão presos em uma ilha desabitada. De início, tudo o que importa é sobreviver. Mas, à medida que os dias se tornam semanas, e então meses, Anna começa a se perguntar se seu maior desafio não será ter de conviver com um garoto que aos poucos torna-se homem.
Romance | 288 páginas | Editora Intrínseca 

Na ilha era um livro que eu já queria ler há algum tempo e não acreditei na sorte que tive ao conseguir trocar ele através do Skoob. Apesar de ter chegado há algumas semanas atrás, eu meio que enrolei para começar a ler. Sabe quando suas expectativas estão lá em cima mas você tem medo de quebrar a cara? Pois é. Algumas pessoas que leram esse livro podem achar ele sem graça demais, mas foi justamente isso que me chamou atenção, porque de alguma forma me vi cativada pelos protagonistas, pelas coisas que eles tiveram que passar e torci muito para que no fim, conseguissem sobreviver e viver o amor que eles queriam.

Anna Emerson é uma professora de inglês de 30 anos contratada para dar aulas particulares a T.J. Callahan, um garoto de 16 anos que teve que lidar muito cedo com um câncer. As sessões de quimioterapia e radioterapia fizeram com que ele tivesse que abandonar os estudos. Agora em remissão há três meses, seus pais querem que ele não perca mais tempo e volte a estudar, e contrataram Anna justamente para isso.

Compartilhe:

19 abril 2018

Só escute - Sarah Dessen | Resenha


Para encarar a verdade, você precisa estar disposta a ouvi-la.
Ano passado, Annabel era a típica “garota que tem tudo” — inclusive era esse o papel que interpretava no comercial de uma loja de departamentos da cidade. Este ano, porém, ela é a garota que não tem nada: não tem mais a amizade de Sophie; não tem uma família feliz desde a descoberta do distúrbio alimentar de uma de suas irmãs; e não tem ninguém com quem passar a hora do almoço na escola. Até conhecer Owen Armstrong.
Alto, misterioso e obcecado por música, Owen é um garoto que vivia se metendo em brigas, mas agora está tentando mudar. Um de seus novos lemas é sempre falar a verdade, não importa qual seja, e jamais guardar ressentimentos.
Será que com a ajuda desse amigo inesperado Annabel vai conseguir encarar a verdade e enfrentar o que aconteceu na noite em que brigou com Sophie?
Jovem adulto, romance | 352 páginas | Editora Seguinte 

Só escute é o segundo livro que leio da Sarah Dessen. O primeiro livro que li dela foi bem frustrante porque eu não havia gostado muito da protagonista, o que atrapalhou por demais a leitura, porém, em Só escute eu não tive esse problema.

Annabel Greene é a típica garota popular do ensino médio, e seu trabalho como modelo só enaltece mais ainda suas características. Ela parece ter tudo: a família perfeita, irmãs modelos tão lindas quanto ela, as melhores amigas... até que um mal entendido no verão acaba com todas suas chances de ser vista assim novamente.
Em uma festa, Annabel foi vista dentro do mesmo quarto com Will, namorado de sua melhor amiga, Sophie. Automaticamente sua amiga acredita que ela estava a traindo com seu namorado e faz da vida de Annabel um inferno depois disso. Já não bastasse ter perdido seu círculo social de amigos e ser chamada de “vagabunda” por toda a escola, ela precisa lidar com os trabalhos de modelo, algo que ela já não quer mais fazer, mas não tem coragem de contar pra sua mãe e com o distúrbio alimentar que sua irmã do meio, Whitney, acabou desenvolvendo, o que fez com que ela voltasse a morar na casa dos pais.

Compartilhe:

18 abril 2018

A busca - Lisa Keyplas | Resenha


ELA NÃO ESPERAVA ESSA MUDANÇA EM SUA VIDA. ELE NÃO ESPERAVA ESSA MULHER.
Após uma infância cheia de traumas, tudo o que Hannah Varner deseja é viver bem longe da mãe problemática e das complicações que a irmã, Tara, despeja em seu colo. Hannah quer algo que nunca teve: uma vida tranquila. Mas um telefonema muda todos os seus planos… Tara teve um filho e desapareceu, deixando o bebê aos cuidados de Hannah.
Desesperada, a jovem decide investigar tanto o paradeiro da irmã quanto a identidade do pai da criança. E descobre que um membro da família Travis pode ser o responsável por aquela confusão em sua vida. Jack Travis, um milionário de uma das mais importantes famílias do Texas, amante das mulheres e do prazer, nunca pensou que encontraria em seu escritório uma jovem irritada e extremamente sexy segurando um bebê que pode ser seu filho.
Nesta envolvente trama, com personagens densos e uma história familiar inesperada, Lisa Kleypas nos leva a conhecer mais um membro da família Travis e a descobrir o verdadeiro significado das palavras amor e entrega.
“Eu não deixaria que Tara fugisse disso. Eu iria encontrá-la e, pelo menos uma vez na vida, ela teria que lidar com as consequências de seus atos. Se isso não desse certo, eu iria encontrar o pai do bebê.”
 Romance | 288 páginas | Editora Gutenberg

A Busca é o terceiro volume da Série The Travis Family, que eu só fiz questão de ler o primeiro volume, A Protegida. Como era a primeira vez que lia um romance contemporâneo da Lisa Keyplas, eu fiquei com um pé atrás o que influenciou na leitura. Redenção, o segundo volume, até hoje não me cativou ao ponto de me fazer lê-lo, mas A Busca de alguma forma me chamou atenção.

Hannah Varner teve uma infância conturbada marcada pelos inconstantes namorados que a mãe colocava dentro de cada depois do divórcio com seu pai. Um deles até mesmo assediou sua irmã mais nova, Tara, mas a mãe nunca acreditou na história e sempre as culpava pelos términos de namoro que viam a seguir. Hannah desde cedo percebeu que nunca poderia contar com a mãe para nada, por isso ela sempre cuidou de Tara como se fosse sua filha, ajudando a descobrir o mundo e a protegendo.

Mas chegou num momento que até sua irmã começou a tratá-la como sua mãe o fazia, e Hannah não teve outra alternativa a não ser se afastar dessa família louca e ir morar em Austin, Texas. Agora com a vida estável, com um emprego confiável numa coluna de revista onde ela dá conselhos a seus leitores e namorando Dane há quatro anos, Hannah vê sua vida dar uma balançada mais uma vez quando sua mãe liga dizendo que Tara deixou um filho recém-nascido em sua casa e quer que Hannah vá até lá e cuide do bebê.

Compartilhe: