19 abril 2018

Só escute - Sarah Dessen | Resenha


Para encarar a verdade, você precisa estar disposta a ouvi-la.
Ano passado, Annabel era a típica “garota que tem tudo” — inclusive era esse o papel que interpretava no comercial de uma loja de departamentos da cidade. Este ano, porém, ela é a garota que não tem nada: não tem mais a amizade de Sophie; não tem uma família feliz desde a descoberta do distúrbio alimentar de uma de suas irmãs; e não tem ninguém com quem passar a hora do almoço na escola. Até conhecer Owen Armstrong.
Alto, misterioso e obcecado por música, Owen é um garoto que vivia se metendo em brigas, mas agora está tentando mudar. Um de seus novos lemas é sempre falar a verdade, não importa qual seja, e jamais guardar ressentimentos.
Será que com a ajuda desse amigo inesperado Annabel vai conseguir encarar a verdade e enfrentar o que aconteceu na noite em que brigou com Sophie?
Jovem adulto, romance | 352 páginas | Editora Seguinte 

Só escute é o segundo livro que leio da Sarah Dessen. O primeiro livro que li dela foi bem frustrante porque eu não havia gostado muito da protagonista, o que atrapalhou por demais a leitura, porém, em Só escute eu não tive esse problema.

Annabel Greene é a típica garota popular do ensino médio, e seu trabalho como modelo só enaltece mais ainda suas características. Ela parece ter tudo: a família perfeita, irmãs modelos tão lindas quanto ela, as melhores amigas... até que um mal entendido no verão acaba com todas suas chances de ser vista assim novamente.
Em uma festa, Annabel foi vista dentro do mesmo quarto com Will, namorado de sua melhor amiga, Sophie. Automaticamente sua amiga acredita que ela estava a traindo com seu namorado e faz da vida de Annabel um inferno depois disso. Já não bastasse ter perdido seu círculo social de amigos e ser chamada de “vagabunda” por toda a escola, ela precisa lidar com os trabalhos de modelo, algo que ela já não quer mais fazer, mas não tem coragem de contar pra sua mãe e com o distúrbio alimentar que sua irmã do meio, Whitney, acabou desenvolvendo, o que fez com que ela voltasse a morar na casa dos pais.

Compartilhe:

18 abril 2018

A busca - Lisa Keyplas | Resenha


ELA NÃO ESPERAVA ESSA MUDANÇA EM SUA VIDA. ELE NÃO ESPERAVA ESSA MULHER.
Após uma infância cheia de traumas, tudo o que Hannah Varner deseja é viver bem longe da mãe problemática e das complicações que a irmã, Tara, despeja em seu colo. Hannah quer algo que nunca teve: uma vida tranquila. Mas um telefonema muda todos os seus planos… Tara teve um filho e desapareceu, deixando o bebê aos cuidados de Hannah.
Desesperada, a jovem decide investigar tanto o paradeiro da irmã quanto a identidade do pai da criança. E descobre que um membro da família Travis pode ser o responsável por aquela confusão em sua vida. Jack Travis, um milionário de uma das mais importantes famílias do Texas, amante das mulheres e do prazer, nunca pensou que encontraria em seu escritório uma jovem irritada e extremamente sexy segurando um bebê que pode ser seu filho.
Nesta envolvente trama, com personagens densos e uma história familiar inesperada, Lisa Kleypas nos leva a conhecer mais um membro da família Travis e a descobrir o verdadeiro significado das palavras amor e entrega.
“Eu não deixaria que Tara fugisse disso. Eu iria encontrá-la e, pelo menos uma vez na vida, ela teria que lidar com as consequências de seus atos. Se isso não desse certo, eu iria encontrar o pai do bebê.”
 Romance | 288 páginas | Editora Gutenberg

A Busca é o terceiro volume da Série The Travis Family, que eu só fiz questão de ler o primeiro volume, A Protegida. Como era a primeira vez que lia um romance contemporâneo da Lisa Keyplas, eu fiquei com um pé atrás o que influenciou na leitura. Redenção, o segundo volume, até hoje não me cativou ao ponto de me fazer lê-lo, mas A Busca de alguma forma me chamou atenção.

Hannah Varner teve uma infância conturbada marcada pelos inconstantes namorados que a mãe colocava dentro de cada depois do divórcio com seu pai. Um deles até mesmo assediou sua irmã mais nova, Tara, mas a mãe nunca acreditou na história e sempre as culpava pelos términos de namoro que viam a seguir. Hannah desde cedo percebeu que nunca poderia contar com a mãe para nada, por isso ela sempre cuidou de Tara como se fosse sua filha, ajudando a descobrir o mundo e a protegendo.

Mas chegou num momento que até sua irmã começou a tratá-la como sua mãe o fazia, e Hannah não teve outra alternativa a não ser se afastar dessa família louca e ir morar em Austin, Texas. Agora com a vida estável, com um emprego confiável numa coluna de revista onde ela dá conselhos a seus leitores e namorando Dane há quatro anos, Hannah vê sua vida dar uma balançada mais uma vez quando sua mãe liga dizendo que Tara deixou um filho recém-nascido em sua casa e quer que Hannah vá até lá e cuide do bebê.

Compartilhe:

17 abril 2018

3 coisas que acho estranho nos livros eróticos

Eu adoro eróticos e mesmo que o gênero seja tão criticado e odiado por muitos, existem sim alguns livros que me chamam bastante atenção no gênero. De fato tem algum tempo que eu realmente tenho evitado livros do tipo, porém, como resolvi voltar a ler por agora, percebi que sempre há algumas coisas que me incomodam no gênero, que por deveras já vi em todos os livros do tema. Fiz um post sobre Coisas que não entendo no gênero erótico, e esse post é basicamente uma extensão daquele, mas com ressalvas menores, ou seja, vou falar de algumas coisinhas que eu acho estranho que eu sempre vejo na trama mas que não me incomodam tanto ao ponto de desistir da leitura.

Compartilhe:

15 abril 2018

Twittando o amor - Teresa Medeiros | Resenha


O Twitter é uma festa que nunca termina onde todo mundo fala ao mesmo tempo e ninguém diz nada...
Abigail Donovan é uma escritora de sucesso. Ela quase ganhou o prêmio Pulitzer e até foi elogiada no programa da Oprah. Então, por que ela passa os dias e noites escondida no chiquérrimo condomínio onde mora, na companhia de seus dois gatos, sem conseguir escrever?
Quando o seu editor a obriga a entrar no mundo das redes sociais para expandir seus horizontes, Abby imagina que vai ser obrigada a conversar com adolescentes que teclam escondido do porão de casa. Mas ela acaba conhecendo Mark Baynard, um professor britânico sexy, bem-humorado e inteligente que está viajando pelo mundo em busca de aventura. Abby tenta resistir ao seu charme, enquanto Mark começa a quebrar a resistência dela aos pouquinhos... Inclusive a resistência a se comunicar por meio de mensagens curtas.
Agora que Abby voltou a escrever e a viver , ela descobre que Mark guarda um segredo que poderá mudar para sempre a vida dos dois.
Romance | 202 páginas | Editora Novo Conceito 

Quem nunca teve um amigo virtual? Que conheceu através de um blog, uma rede social ou sites de interesse em comum? Quem nunca mentiu sobre sua própria identidade porque sabia que a pessoa atrás da outra tela nunca iria saber o que você realmente era? Você já sentiu vontade de contar coisas para alguém que mal conhece que você jamais contaria para sua mãe? Você confiaria em alguém que acabou de conhecer pela internet? 

Twittando o amor é um romance fofo e simples que traz todos esses questionamentos para a vida do leitor. A gente vive na Era Digital onde a cada dia a tecnologia e as redes sociais se fazem presentes, e aí de quem não use esses meios para se comunicar. Assim iremos conhecer Abby Donovan, uma autora em decadência que precisa lidar com a falta de criatividade e o prazo já atrasado para terminar seu segundo romance. Há quatro anos ela se viu na lista dos mais vendidos do New York Times e hoje está perto de perder seu emprego.

Compartilhe:

14 abril 2018

Despertar - Nina Lane | Resenha


Um casamento baseado no amor, no desejo e na confiança. Um segredo guardado com a melhor das intenções. Um relacionamento — intenso e imperfeito — colocado à prova. Dean West é o grande amor e o porto seguro da vida de Olivia. Um marido dedicado, um parceiro intenso e, acima de tudo, um homem completamente apaixonado por sua mulher. Conhecedor dos segredos mais obscuros da esposa, Dean a possui por completo — hoje, amanhã e sempre. Mas o casamento aparentemente perfeito dos dois é abalado quando Olivia descobre uma faceta até então desconhecida do passado do marido. Será que a força dos sentimentos que eles têm um pelo outro será capaz de prevalecer sobre a dor da decepção? Neste primeiro livro da série Espiral do Desejo, a autora best-seller Nina Lane dialoga com o romântico que habita em todos nós, através da história de um casal apaixonado e imperfeito que conta com o poder do amor para superar as dificuldades encontradas pelo caminho.
Erótico, romance | 320 páginas | Editora Paralela 

 Despertar é o primeiro volume da série Espiral do desejo e foi meu primeiro contato com a autora Nina Lane. Os três livros são uma história linear e contínua que fala sobre o mesmo casal: Dean e Olivia.

Dean West é tudo aquilo que uma mulher poderia sonhar em ter. Um acadêmico professor bem-sucedido, bonito, sexy, carinhoso e um porto seguro para Olivia, sua esposa. Os dois são casados há três anos e vivem o relacionamento dos sonhos a base da confiança, repleto de noites quentes e intensas e de uma parceria invejável.

Compartilhe:

12 abril 2018

Doce Amargo Livro I - Evelyn Santana | Resenha premiada


Melinda é uma garota que não conhece suas origens, tendo sido abandonada com pouco dias de vida em um orfanato, onde se apaixona por uma ilusão, um rosto em uma foto no jornal: Robert Blackwell, um promissor empresário que fez uma doação para o orfanato onde ela morava.
Anos mais tarde, Linda consegue se reerguer, estudar e garantir um bom emprego na empresa de Robert.
Um acidente faz com que se encontrem. A ganância dele os aproxima. E o amor sela tudo.
Romance | 441 páginas | Editora Coerência 

Recebi Doce Amargo em parceria com a autora Evelyn Santana, que gentilmente me enviou o livro mais alguns mimos, o que me deixou apaixonada. Já conhecia o livro dela e não era de hoje que eu queria lê-lo, por isso fiquei muito feliz quando enfim pude começar a leitura.

Doce Amargo irá contar a história de Melinda, uma jovem que teve que batalhar muito para conseguir sobreviver. Órfã e vez ou outra vivendo em lares adotivos onde ninguém realmente a queria por perto, Linda nunca teve de fato uma família, mas nem isso a fez desistir de ir atrás de seus objetivos para ter uma vida melhor.

Hoje ela trabalha na empresa de Robert Blackwell, homem por quem Linda nutre uma paixão platônica desde que ele doou uma quantia generosa ao orfanato onde ela crescera. Por isso Linda sempre acreditou que Robert fosse um homem honrado, que se importava com os outros, desconhecendo completamente a verdadeira faceta de Robert Blackwell.

Compartilhe: