Facebook

Por que os romances de época encantam tanto os leitores?

Alguns leitores ainda não estão familiarizados com o gênero romance de época, mas aqueles que já puderam ler uma história ambientada no século XIX, sabe que elas acabam encantando o leitor de todas as formas. Mesmo com pouquíssimas mudanças de enredo, as narrativas nos prendem por completo e ficamos cada vez mais entusiasmados para conhecer outros personagens, outro casal. Jane Austen é a grande mãe desses romances e através de sua obra mais famosa 'Orgulho e Preconceito', somos cativadas a entrar neste mundo onde a alta-roda sempre dita as regras e as mocinhas tem que fazer o possível para conseguir um bom casamento.

Por vezes me perguntei os motivos que fazem o romance de época ser um dos gêneros mais procurado nas livrarias. Na minha cabeça, existe três razões principais para isso acontecer. Leia mais e vamos conhecê-las!

[Resenha] Peça-me o que quiser e eu te darei, de Megan Maxwell @Suma de Letras

Título: Peça-me o que quiser e eu te darei
Autor: Megan Maxwell
Lançamento: 2016
Páginas: 576
Gênero: Erótico / Romance / Literatura Estrangeira
Editora: Suma de Letras
Classificação:
Sinopse: Os anos se passaram. Judith Flores e Eric Zimmerman vivem em uma bela casa em Munique com os três filhos. E continuam tão apaixonados quanto no dia em que se conheceram. O alemão e a espanhola enfrentam juntos os desafios de criar um adolescente e de manter o desejo aceso no casamento. Apesar disso, tudo parece ir bem, até o dia em que uma mulher do passado de Eric reaparece e coloca à prova todas as certezas de Jud. Já os melhores amigos do casal, Mel e Björn, estão mais felizes do que nunca. E o advogado sonha com o dia em que a ex-tenente do Exército americano deixará de ser tão teimosa e aceitará se casar com ele. Unidos pela amizade e pelo sexo, os dois casais enfrentarão juntos as armadilhas que o destino coloca em seus caminhos. Será que o amor verdadeiro é mesmo capaz de vencer tudo? 
Algumas pessoas não sabem mas eu sou uma fã do gênero erótico, e minha autora favorita é inclusive a Megan Maxwell com sua trilogia Peça-me o que quiser. Este ano, a editora Suma das Letras anunciou que a autora iria lançar mais um livro para acrescentar e eu não me contive de ansiedade até conseguir ter o livro em mãos e devorá-lo. Neste último volume, Eric e Jud já estão casados há 5 anos. Flyn tem 14 anos e de um garotinho tímido e retraído, tornou-se um menino bonito e popular. Eric e Hannah, os filhos de Jud tem 3 e 2 anos, respectivamente.

Antes de começar a resenha, uma dica para quem quer ler este volume, leia antes o livro da Mel e do Björn, Surpreenda-me, pois neste livro eles são co-protagonistas, e para não levar spoiler sobre a relação de ambos, melhor ler o livro antes.

Livros que eu não esperava nada e conquistaram meu coração

Sempre tem aquele livro que a gente acaba não dando valor e julga pela capa, não é mesmo? Eu faço isso direto e acaba que estes livros sempre me conquistam, ainda mais quando eu não estou com nenhuma vontade de ler. Neste post vou falar sobre cinco livros que eu não esperava nada e que acabaram me conquistando de um jeito muito legal. São aqueles livros que você começa e só quer parar assim que terminar. Espero que gostem do post e que esses livros sirvam de indicação para vocês também!

Puros - Julianna Baggott
Eu vivo falando e comentando desse livro aqui no blog mas na verdade quando ganhei ele não tinha lhe dado o devido crédito. Minha mãe havia comprado ele junto de vários outros livros, mas a capa não me interessou de nenhuma forma, então ele ficou preso na estante durante um tempão. Foi então que resolvi que precisava ler algo e apostei nele e cara, como eu me arrependo de não ter começado logo! O livro foi desenvolvido de uma forma simplesmente perfeita pela autora onde o mundo pós-terceira guerra é devastador e cruel. Eu adorei o livro e se tornou um dos meus favoritos. 
Indico para: Aqueles que gostam de distopias e querem algo diferente de Jogos Vorazes, A Seleção vão amar esse livro.

[Resenha] Entre a ruína e a paixão, de Sarah MacLean @Gutenberg

Título: Entre a ruína e a paixão
Autor: Sarah MacLean
Lançamento: 2016
Páginas: 304
Gênero: Romance / Literatura Estrangeira
Editora: Gutenberg
Classificação:
Sinopse: Uma noiva desaparecida na véspera de seu casamento. Um poderoso duque acusado de assassinato. Uma noite que mudou duas vidas para sempre. Temple viu seu mundo desmoronar quando acordou completamente nu e desmemoriado em uma cama repleta de sangue. Destituído de seu título e acusado de assassinato, o jovem duque foi banido da sociedade. Doze anos depois, recuperado em sua fortuna e seu poder como um dos sócios do cassino mais famoso de Londres, sua redenção surge quando a única pessoa que poderia provar sua inocência ressurge do mundo dos mortos. Após doze anos desaparecida, Mara Lowe se vê obrigada a reaparecer quando seu irmão perde toda a fortuna da família nas mesas do cassino do homem cuja vida ela arruinou. Temple quer provar a todos que é inocente e, sobretudo, se vingar e destruir a vida daquela mulher, enquanto Mara precisa enfrentar o passado para recuperar seu dinheiro. Assim, os dois formam um acordo obsceno que os une em um jogo de poder e sedução. Mas ambos descobrem que a realidade esconde muito mais do que as aparências revelam e eles se veem em uma encruzilhada na qual precisam escolher entre lavar a honra do passado e garantir o futuro ou ceder ao desejo de se entregarem de vez à irresistível atração que sentem um pelo outro, mas que pode arruiná-los para sempre.
Após ter terminado o segundo livro Entre a culpa e o desejo com as expectativas mais do que atingidas, embarquei na leitura do terceiro volume da série O Clube dos Canalhas. O que falar dessa mulher? Gente, a Sarah MacLean precisava ganhar um prêmio. Ela é uma das melhores autoras de romance de época que existem! Nunca vi uma mulher ser tão sensacional em cada romance que escreve. Geralmente quando lemos uma série, sempre tem um volume que se sobressai aos outros, mas com os livros da Sarah é quase impossível escolher qual você gostou mais.

William Harrow, Marquês de Chapin e herdeiro do ducado de Lamont acordou em uma cama completamente nu e desorientado. Tudo o que se lembra é que estava na companhia de uma bela mulher de cabelos ruivos, com olhos diferentes: um de cor azul e outro verde. Desesperado para saber se a noite foi realmente boa, ele olha para o outro lado da cama a fim de encontrá-la mas tudo o que vê é sangue. Quando descobre onde está, ele fica sabendo que o acusam de matar Mara Lowe, a noiva de seu pai, e a partir daí tudo o que ele conhece é destruído, menos o apelido infame que lhe dão: O Duque Assassino.

[Resenha] Sangue de Lobo, de Rosana Rios e Helena Gomes @Farol Literário

Título: Sangue de Lobo
Autor: Rosana Rios e Helena Gomes
Lançamento: 2010
Páginas: 520
Gênero: Aventura
Editora: Farol Literário
Classificação: 
Sinopse: Em 'Sangue de Lobo', um antigo original de um livro que conta uma história de mistério e morte jaz esquecido num pequeno museu em um restaurante no sul de Minas Gerais. Duas jovens, Ana Cristina e Cristiana, em viagem com a família de Ana, encontram-no e leem a história. Elas ficam assustadas, pois o enredo do livro retrata exatamente o jogo de RPG que elas criaram com amigos em São Paulo. E o mais curioso - a história se passa na cidade onde vão passar as férias. Foi lá que ocorreram crimes em série no início do século XX. E, no mesmo local, 100 anos depois, volta a acontecer uma sequência sinistra de mortes - oito macabras bonecas de porcelana parecem corresponder às vítimas de um insano assassino serial. As histórias do presente e do passado se misturam a partir do lobisomem Hector, um jovem inglês do passado que luta contra a maldição da Lua Cheia. 
A primeira vez que olhei esse livro, não me importei de fato com o que realmente falaria, qual seria sua história e confesso que não estava com muito ânimo para ler. Imagine a minha felicidade ao constatar que o enredo havia me pegado de jeito e me deixado sem palavras? Se fosse para fazer um ranking dos meus livros favoritos, este estaria no topo. Melhor ainda sendo nacional!

Hector, nasceu em Londres e quando criança foi mordido pela mãe que acabou tornando-o um lobisomem. Sabendo que no Brasil poderia encontrar meios de tirar o fator X de seu sangue e enfim parar a mutação, ele viaja para a cidade de Passa Quatro, em Minas. O sangue de lobo também faz com que ele não envelheça, por isso mesmo passando muito tempo, Hector ainda tem a aparência de quando tinha 23 anos, e isso faz com que ele adote o nome de Daniel.