Facebook

Livros divertidos para o dia das crianças!

Nesta quarta feira, dia 12, é o Dia das Crianças e nós do blog estamos muito felizes em poder comemorar essa data, até porque é feriado e tem várias opções do que fazer para se divertir. É aquele momento que bate a saudade e a nostalgia de algumas coisinhas da nossa infância. No meu caso, meu sonho de consumo de quando criança era ir pra Disney. Acho que a maioria das crianças do mundo já sonharam com isso! Infelizmente, eu ainda não tive a oportunidade de cumprir esse desejo, mas ainda tenho muitos anos pela frente...

Mas deixando isso de lado, para comemorar essa data tão especial, eu vim indicar quatro livros super divertidos para o dia das crianças! Então desce mais abaixo e vem conhecer os livros que escolhi.

Tentei e não consegui: A Bibliotecária

Desde que comecei a ler livros eróticos eu fui devorando um atrás de outro. Mas ultimamente fica cada vez mais difícil engolir uma história sem sentido, onde a mocinha sem graça é facilmente seduzida pelo tipão milionário, sexy e possessivo, para em seguida os dois transarem loucamente em 70% dos livros. Mesmo assim, tentei continuar nessa vibe de livros mais hots e peguei A Bibliotecária para ler.

Esse livro tinha tudo para eu gostar: era erótico, tinha uma história agradável e passava-se numa bibliotecária, lugar que eu amo. Mas infelizmente a leitura não se deu bem assim. A personagem principal desde o começo se mostra submissa ao chefe gostosão, sem nem saber direito quem ele é. Acho que vender personagens assim já deu! Estou afim de ler sobre mulheres que saibam se impôr e são ousadas, e não mulheres que se derretem com um simples toque, até porque isso é muito irreal para a nossa realidade.

Sem contar que a narrativa da autora não é a melhor. Tudo acontece rápido demais. Ela nos faz uma breve narração sobre quem a personagem é, o que ela quer e depois partimos só para sexo, sexo e sexo. Infelizmente, desisti do livro antes de chegar a página 100, então não sei dizer realmente o que acontece depois com os personagens e como o romance deles evolui, mas sinto dizer que não sinto nenhuma necessidade em saber. Você já leu A Bibliotecária? Compartilhe comigo sua experiência!

A jovem Regina Finch acaba de chegar a Manhattan para trabalhar na Biblioteca Pública de Nova York. Mas o que parecia ser a promessa de uma rotina tranquila em meio a clássicos da literatura logo se revela um irresistível jogo de sedução quando ela conhece o envolvente Sebastian Barnes, investidor da instituição e um dos homens mais cobiçados da cidade, que fica obcecado pela beleza da bibliotecária. A até então ingênua Regina se entrega a um crescente e selvagem desejo que parece consumi-la mais a cada dia, uma paixão que despertará na jovem sensações jamais imaginadas. 

Tag: Diferentona

Olá! Faz um tempão que eu não posto uma tag aqui no blog, por isso resolvi fazer essa que eu vi no blog literário Prefácio. Como o nome já diz, a tag consiste em dizer os livros nos quais você se difere da maioria.

1. Só eu que li? Um livro que a maioria das pessoas desconhece, mas você leu.

Gente, esse livro é muito amor! Lembro que li ele na escola e é um YA muito legal, por isso eu super indico para aqueles que curtem o gênero.
Fonte: Carol 258

[Resenha] A caminho do altar, de Julia Quinn @Arqueiro

Título: A caminho do altar
Autor: Julia Quinn
Lançamento: 2016
Páginas: 320
Gênero: Ficção / Literatura Estrangeira
Editora: Arqueiro
Sinopse: Ao contrário da maioria de seus amigos, Gregory Bridgerton sempre acreditou no amor. Não podia ser diferente: seus pais se adoravam e seus sete irmãos se casaram apaixonados. Por isso, o jovem tem certeza de que também encontrará a mulher que foi feita para ele e que a reconhecerá assim que a vir. E é exatamente isso que acontece.
O problema é que Hermione Watson está encantada por outro homem e não lhe dá a menor atenção. Para sorte de Gregory, porém, Lucinda Abernathy considera o pretendente da melhor amiga um péssimo partido e se oferece para ajudar o romântico Bridgerton a conquistá-la.
Mas tudo começa a mudar quando quem se apaixona por ele é Lucy, que já foi prometida pelo tio a um homem que mal conhece. Agora, será que Gregory perceberá a tempo que ela, com seu humor inteligente e seu sorriso luminoso, é a mulher ideal para ele?
A caminho do altar, oitavo livro da série Os Bridgertons, é uma história sobre encontros, desencontros e esperança no amor. De forma leve e revigorante, Julia Quinn nos mostra que tudo o que imaginamos sobre paixão à primeira vista é verdade – só precisamos saber onde buscá-la.
Sendo o último filho e vendo todos seus irmãos casarem por amor, Gregory Bridgerton considera-se um homem romântico. Ele espera o dia que irá sentir palpitações quando ver sua alma gêmea, a mulher da sua vida pela primeira vez. E não foi exatamente isso que aconteceu? Assim que ele pôs os olhos na nuca da Srta. Hermione Watson, ele descobriu que ela seria sua. O que ele não contava é que Hermione não se interessaria por ele e que já estivesse apaixonada por outro.

Lady Lucinda Abernathy mesmo com seus cabelos loiros e olhos cinzas não consegue se diferenciar das outras mulheres, muito menos de Hermione, sua melhor amiga já que esta tem uma beleza exuberante. Como está há muito tempo prometida a casar-se com um homem que mal conhece, ela não acredita no amor e não consegue entender o que Hermione diz sentir sempre que pensa no Sr. Edmonds, o homem que ama. Sendo pragmática, Lucy entende a ordem social das coisas e sabe  que os pais de Hermione nunca a deixariam se casar com o Sr. Edmonds já que ele não possui título e nem posses. Disposta a fazer com que sua amiga caia em si, ela percebe que Gregory Bridgerton está interessado em Hermione e propõe ajudá-lo, afinal, um casamento com ele seria melhor do que um secretário.

[Resenha] Com carinho, Lucy B. Parker: Menina x Superstar, de Robin Palmer @LeYa

Título: Com carinho, Lucy B. Parker: Menina x Superstar
Autor: Robin Palmer
Lançamento: 2015
Páginas: 224
Gênero: Infanto-juvenil
Editora: LeYa
Sinopse: Fãs dos livros de Meg Cabot, Thalita Rebouças e Paula Pimenta vão adorar a história de Lucy B. Parker. Afinal, quem nunca brigou com as melhores amigas, fez besteiras no cabelo ou mandou cartas para um programa de TV?
Lucy fez tudo isso, e muito mais para conseguir lidar com a novidade que sua mãe acaba de lhe contar. O casamento dela com o pai de uma estrela teen de cinema, música e TV vai virar o mundo de Lucy de cabeça para baixo. E as comparações entre a garota desleixada que vive seus últimos dias de criança e sua meia-irmã superstar serão inevitáveis – e humilhantes.
Um livro leve e divertido sobre os desafios que toda garota enfrenta ao crescer. De forma bem-humorada, Lucy ensina como lidar com essa fase difícil e encantadora, pela qual toda adolescente passa. 
Lucy com apenas doze anos está passando por uma barra daquelas. Depois de suas duas melhores amigas, Rachel e Missy, terem dado o fora nela dias antes de começar a 7ª série, houve o incidente da chapinha e Lucy perdeu quase todo seu cabelo. Se não bastasse isso, ela teve que começar a usar boné durante um tempão, até que aconteceu outro incidente onde sua reputação e orgulho ficaram feridos. Agora, sua mãe resolveu começar a namorar Alan Moses, o pai de Laurel Moses, a estrela mirim de cinema-música-Tv. Isso não seria um problema para Lucy, mas ela simplesmente odeia Laurel. Será que as coisas não poderiam piorar?

Enquanto se preocupa em conseguir suas amigas de volta, seguida da sua dignidade, Lucy irá passar por diversas mudanças e fases que farão com que seu mundo vire de cabeça para baixo.

Antes de começar a falar do livro eu queria falar sobre a capa dele. Gente, que capa maravilhosa! Eu comprei justamente pelo preço acessível e pela capa incrível que fizeram. Sem contar que assim que terminei esse livro, já pude classificá-lo como fofo, incrível e encantador.

[Resenha] Roomhate, de Penelope Ward @Publicação Independente

Título: Roomhate
Autor: Penelope Ward
Lançamento: 2016
Páginas: 280
Gênero: Jovem Adulto / Literatura Estrangeira / Romance
Editora: Publicação Independente
Sinopse: Dividir uma casa de verão com um companheiro de quarto quente como o inferno deveria ser um sonho se tornando realidade, certo?
Errado! Não quando o meu companheiro é Justin. A única pessoa que eu havia amado, e que agora me odeia.
Quando minha avó morreu, recebi como herança a metade de sua casa localizada na ilha Aquidneck; havia apenas um pequeno problema: a outra metade iria para o garoto que ela
ajudou a criar.
O mesmo garoto que virou o adolescente cujo coração eu quebrei anos atrás.
O mesmo adolescente que agora é um homem com um corpo rígido e uma personalidade rigorosa para corresponder.
Eu não o via há anos, e agora estamos morando juntos porque nem um de nós está disposto a desistir da casa.
A pior parte? Ele não veio sozinho.
Logo perceberia que há uma linha tênue entre amor e ódio. Por baixo desse sorriso presunçoso eu podia ver que o garoto que uma vez conheci, ainda está lá. Então, essa é a
nossa conexão.
O problema? É que eu não posso ter Justin, porém, nunca lhe desejei tanto quanto agora.
Amelia acaba de herdar metade da casa de veraneio de sua avó. Infelizmente, a outra parte vai para Justin, amigo de infância dela e seu primeiro amor, já que sua avó o considerava como filho. Sabendo que Justin provavelmente a odeia agora já que quando eram jovens ela acabou indo embora sem explicar o porque, ela sabe que encontrar ele será inevitável, mas espera que isso aconteça o mais tardar possível. Já que descobriu que seu ex, Adam, a estava traindo, ela resolve que nas férias de verão irá para a casa que herdou e vai tentar aproveitar esse tempo ao máximo sozinha para pensar.