Facebook

[Resenha] Para todos os garotos que já amei - Jenny Han

Lara Jean guarda suas cartas de amor em uma caixa azul-petróleo que ganhou da mãe. Não são cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu. Uma para cada garoto que amou — cinco ao todo. São cartas sinceras, sem joguinhos nem fingimentos, repletas de coisas que Lara Jean não diria a ninguém, confissões de seus sentimentos mais profundos.Até que um dia essas cartas secretas são misteriosamente enviadas aos destinatários, e de uma hora para outra a vida amorosa de Lara Jean sai do papel e se transforma em algo que ela não pode mais controlar.
Romance | 320 páginas | Editora Intrínseca 

Lara Jean, uma jovem de 16 anos que está enfrentando a ida de sua irmã mais velha, Margot, à faculdade em outro país. É tudo muito novo para ela e sua irmã menor, Kitty, já que elas são as irmãs Song, sendo muito ligadas. Criadas apenas pelo pai desde que sua mãe morreu, elas tem uma cumplicidade incrível durante a trajetória do livro, mas é a relação entre Lara Jean e Kitty que nos chama mais a atenção porque percebemos como Lara Jean tenta se tornar um modelo a ser seguido, já que Margot não está mais lá para isso.

Lara Jean tem uma peculiaridade: ela escreve cartas a todos os garotos que um dia já amou. Nestas cartas ela descreve tudo aquilo que sentiu quando estava amando a tal pessoa, confissões que ela jamais poderia fazer pessoalmente. E se as tais cartas acabassem parando misteriosamente nas mãos dos destinatários? Como lidar sabendo que todos os caras que um dia você já amou descobrissem que você nutria um sentimento por eles? Suas únicas preocupações seriam com dois dos cinco garotos: Josh, o garoto que ela ainda ama e Peter, um garoto que já foi seu amigo e que hoje namora sua ex-melhor amiga.

Como ter um romance igual dos livros

Ah, quem não gostaria de encontrar seu príncipe encantado e viver aquele romance de tirar o fôlego, em que todos os momentos é como um frio na barriga, sempre com novidades, em alguns casos um romance engraçado e em outros apenas o tradicional romance romântico?

Lógico que não queremos todos os problemas de inimigos querendo nos separar, guerras acontecendo, ou até algo simples como os pais sempre colocando empecilhos no nosso caminho. O que queremos é simplesmente um amor igual dos livros.

Publique seu conto de amor em livro!


Se você escreve contos de amor e deseja ser publicado, eis a oportunidade.

Você pode participar da coletânea SEM MAIS, O AMOR — CONTOS DE AMOR EM FORMA DE CARTAS, EMAILS, PÁGINAS DE DIÁRIO E OUTRAS FORMAS DE REGISTRO ESCRITO, organizada pelo escritor Leandro Schulai.

Qualquer pessoa pode participar. Para submeter um texto à avaliação, basta acessar o site da editora www.andross.com.br

O prazo para recebimento de textos vai até 30 de abril de 2017 e o lançamento será em outubro de 2017, no evento Livros em Pauta.

SINOPSE: Fernando Pessoa já dizia que “todas as cartas de amor são ridículas”. E afirmava veementemente: “não seriam cartas de amor se não fossem ridículas”. Mesmo não vivendo o suficiente para conhecer novas tecnologias de comunicação, o poeta sabia bem que a interação verdadeira entre duas pessoas que se amam se despe de vaidades e apresenta a pureza de um sorriso. SEM MAIS, O AMOR é uma coletânea de contos românticos em forma de cartas, emails, páginas de diário e outras formas de registro escrito. E o mais importante: são histórias ridículas! Exatamente como o poeta disse que tinham de ser.
Essa é sua oportunidade de se tornar um escritor!

7 livros para ler no verão!

Verão é sinônimo de praia que sempre nos remete a férias, e qual melhor mês que Janeiro para comemorar essas três coisas juntas? Eu particularmente amo as férias porque assim podemos descansar de todas as coisas que passamos no ano anterior, principalmente para quem estuda. Verão é para relaxar, curtir o tempo e aproveitar o máximo tudo o que esse comecinho de ano tem para a gente, por isso, vou indicar para vocês sete livros que acredito serem perfeitos para passarem as férias.

5 gêneros literários que eu menos gosto

Eu confesso que sou fresca para algumas coisas. Raramente me aventuro por comidas, sempre gosto de ficar na mesmice e não arriscar. Tentei diversas vezes sair da zona de conforto e quase nunca dá certo, e isso acontece também com os livros. Eu sempre deixo bem claro que não sou muito fã de alguns gêneros que todo mundo basicamente gosta, e como eu não sou todo mundo, eu deixo meu ódio bem delimitado. Por isso, hoje vou falar sobre os cinco gêneros literários que eu menos gosto e pedir para vocês, meus caro leitores, me persuadirem a ler algum livro dos tais gêneros. Vamos lá?

[Promoção] 4 anos de Blog Minhas Escrituras


Olá pessoas, tudo bem??
É com uma imensa alegria que eu venho compartilhar com vocês que o blog Minhas Escrituras, já está caminhando para seu quarto ano de existência. Então para comemorar junto a vocês leitores, alguns blogs  amigos se juntaram para comemorar comigo e com vocês esta data especial. E claro que não podia ser diferente com vocês leitores que sempre estão por aqui nos acompanhando nesta jornada de amor pela leitura. O prêmio é de vocês!!! Participem e convidem os amigos.

Adaptação vs. Livro

É muito fácil falar mal de um filme se você já leu o livro antes, e claro, gostou mais do exemplar escrito. Dito isso, é notável que poucas obras realmente conseguem ser fieis ao que o livro quer expressar. Harry Potter foi um sucesso de bilheteria e mesmo assim, quase 2/3 da obra foi cortada para que duas horas e meia de filme dessem para retratar tudo aquilo que o livro possui. Eu não sou perita no assunto nem nada do tipo, até porque a maioria dos filmes que assisti, fui descobrir tratarem-se de adaptações somente depois, mas como eu sempre vejo alguém falando sobre o quanto os livros foram melhores que os filmes, resolvi inverter e trazer quatro filmes que eu acredito terem sido melhores que os livros. Será que vocês conseguem acertar quais seriam?

Pré-venda de Fuga para o Paraíso já disponível na Amazon!

Uma grande guerra quase levou os humanos a aniquilação total, destruindo a maior parte dos recursos naturais existentes no planeta. Com uma atmosfera densa que bloqueia a luz do sol e um ar tóxico os sobreviventes tentam reerguer a sociedade humana. Pequenos impérios na forma de cidades altamente tecnológicas surgem, as diferenças dessas sociedades e os desafios do mundo interior e exterior se tornam cada vez maiores, obrigando essas sociedades a financiarem campanhas militares para continuarem existindo. Além de todos esses desafios uma nova droga surge e começa a se espalhar rapidamente entre as pessoas, abalando todas as estruturas de um mundo já decadente.

[Resenha] Cela sem portas - Marcel Trigueiro

Portador de uma forma rara de esclerose, Miguel consegue mover apenas os olhos, pálpebras e parte da mão direita, o que lhe permite ter um mínimo de independência para portar-se normalmente no mundo cibernético e sair-se relativamente bem na escola. Como ontem foi dia dos professores, Miguel redigiu e sua mãe transcreveu de próprio punho uma pequena carta que pretendem entregar à professora preferida dele, numa singela homenagem, assim que ela chegar para dar aula.
Nessa mesma manhã excepcionalmente quente de primavera, pouco mais de quinze pessoas são feitas reféns por dois homens armados dentro de um ônibus próximo à Lagoa Rodrigo de Freitas. Tirar as vítimas das garras daqueles sequestradores deveria ser competência exclusiva das forças policiais cariocas. Entretanto, depois que a Polícia Civil começa a agir e a imprensa monta seu aparato para que todo o país fique ciente do que está acontecendo, uma fatalidade faz com que o agente federal de Inteligência Matheus Erming entre na operação. A partir daí, a situação vai ficando cada vez mais desesperadora para todos os que acompanham o sequestro.
Para Miguel e sua mãe, que assistem a tudo na escola, o desespero e a sensação de impotência são amplificados quando se deparam com uma dura realidade e uma possibilidade talvez não tão remota. A realidade: a professora não chegará a tempo para a aula. A possibilidade: que aquela carta jamais seja lida.
Romance Policial | 324 páginas | Publicação Independente | Esse livro foi cedido para resenha em parceria com o autor 

Depois de muita enrola, enfim trago a resenha do livro Celas sem portas, do autor parceiro Marcel Trigueiro. E já digo antes o quanto me arrependo de não ter lido esse livro antes. Romances policiais não são meu gênero favorito, mas a partir do momento que você embarca na história criada pelo autor, é impossível não devorar o livro para saber o desenrolar dos acontecimentos.

Seria mais um dia normal de trabalho para Ângela, a professora de Física de uma escola para alunos especiais. Dentre estes alunos, existe Miguel, um garoto adorável porém portador de uma doença rara que acabou fazendo com que todo o seu corpo se imobilizasse, exceto seus olhos e seus dedos, que através de um sistema de computador são os intermediários para que ele possa comunicar-se com sua família e outras pessoas.