Facebook

Personagens secundários que deveriam ter suas próprias histórias

Há diversas histórias onde os protagonistas nos irritam tanto ou deixam muito a desejar que acabamos nutrindo um certo afeto por alguns personagens secundários, estes que infelizmente quase nunca possuem sua própria história. Abaixo vou listar alguns personagens que eu queria muito que tivessem seu próprio livro para nos apresentar da melhor forma sua verdadeira face, afinal, ficamos bastante curiosos para conhecê-los melhor, não é?

Foto por Desejo Adolescente
A trilogia Breathing fez eu sentir bastante sentimentos contraditórios durante sua leitura. No fim, detestei a personagem principal Emma, que acabou caindo no meu conceito a cada livro, ao mesmo tempo que Sara, sua melhor amiga, foi ficando cada vez mais atraente. Sara já tem sua história contada na trilogia, mas eu gostaria que tivesse um livro dela com seu ponto de vista, assim o leitor poderia conhecê-la melhor. Quem começou como uma personagem metida acabou se tornando uma das personagens secundárias mais interessante e leais que já li esse ano, até mais amistosa que a própria protagonista.

Foto por Cinema e Artes
Gostei muito da leitura de Yaqui Delgado quer quebrar a sua cara, mas acho que Joey, o peguete e também amigo da personagem principal deveria sim ter seu próprio livro. Estava na cara que ele era um garoto com problemas e ficou muito a desejar a resolução destes problemas, deixando tudo meio em aberto. Sei que o foco da história não é nele, mas adoraria se a Meg resolvesse fazer um livro só sobre ele, eu super leria.

Foto por Em cada página
Duff foi um livro bem gostoso de ler, mas ao contrário do filme, as melhores amigas de Bianca pouco tem destaque aqui, e confesso que Casey foi a mais interessante delas. Não seria nada mal se fizessem uma história somente sobre ela, já que a moça parece ser super legal e daria um ótimo enredo. Fica a dica!

Foto por The Self Made Girl
E claro que não poderia faltar aqui a melhor coadjuvante da história dessa trilogia: Kitty! Eu acho que vou ser daquelas fãs que mandam cartinha pro autor para implorar que a Jenny escreva sobre a Kitty. Seria fantástico ver a garota entrando na puberdade e descobrindo o primeiro amor, sem a sombra das duas irmãs mais velhas. Já até imagino quase toda a história! Acho que seria muito bom mesmo se fizessem isso para todos os fãs, eu ficaria encantada 😍

E tem algum personagem secundário que ao seu ver merece sim um livro solo para ele? Comente aqui!

[Desabafos de uma Leitora] É ressaca literária ou um bloqueio literário?

Ultimamente venho tentado falar com vocês a respeito do meu problema com a leitura este mês. No começo achei que fosse somente preguiça, mas aqui estamos no dia 20 de Junho e eu ainda não consegui desenrolar as leituras para o mês. Como muitos sabem, sou daquelas que acham que não produzem nada e quando vai contar todos os livros que leu, dão mais de dez. Eu acho isso até legal mas há um tempo não tenho conseguido ficar neste mesmo pique que há trinta dias atrás.

Tem três livros empacados na minha estante, que infelizmente não consigo terminar. Estou parecendo aquelas velhinhas com dificuldade em ler de tanto tempo que venho levando para finalizar estas leituras, e mesmo que eu tente começar outra obra para me sentir com mais vontade ainda de terminar as outras, elas acabam ficando pela metade porque não consigo mais seguir em frente.

O último livro que li este mês foi Como se livrar de um vampiro apaixonado e eu o devorei em dois dias, completamente anestesiada pela história, mas depois dele, não consigo mais me prender a outros livros como antes. Não sei bem se é uma ressaca literária porque esse livro anterior não foi tão impactante assim para eu ficar com os sintomas, mas estou começando a achar que passo por um bloqueio literário. Meu cérebro já está tão sobrecarregado com tantas histórias que li esse ano que agora ele simplesmente não quer mais assimilar nada. Será que isso é possível?

Infelizmente não sei. O fato é que meus livros ainda continuam empacados na estante e nenhuma outra obra tem me tirado o sono. Não sei bem se é carma por ter perdido tantas horas de sono com alguma leitura, mas estou chateada e realmente frustrada porque me acostumei a devorar livros e agora mal consigo terminar um, e senti que precisava desabafar.

E vocês, o que acham? Já passaram por isso ou acham que somente não está na hora de ler determinados livros e eu devo partir para outras leituras?

5 livros para fugir do romance

Olá people, como vão? Esses dias foi o Dia dos Namorados e eu preparei dois posts bem legais a respeito da data, inclusive alguns livros bem românticos e perfeitos para comemorar esse dia especial. Hoje, porém, vou falar de livros que fogem do romance para aqueles, que assim como eu, ás vezes querem sair da zona de conforto e navegar por mares mais profundos.

O livro é um romance policial (que de romântico não tem nada) e envolve uma gama de mistérios envolvendo um sequestro de um ônibus na Cidade Maravilhosa. A escrita do autor contagia, temos aqui vários pontos de vistas mas é impossível se perder na obra, pelo contrário, o leitor só fica cada vez mais ávido para conhecer mais dos personagens e da história. Eu amei cada segundo da leitura e super indico para quem gosta do gênero ou pretende inovar, assim como eu fiz.
Nota: 5/5 

Sinopse: Portador de uma forma rara de esclerose, Miguel consegue mover apenas os olhos, pálpebras e parte da mão direita, o que lhe permite ter um mínimo de independência para portar-se normalmente no mundo cibernético e sair-se relativamente bem na escola. Como ontem foi dia dos professores, Miguel redigiu e sua mãe transcreveu de próprio punho uma pequena carta que pretendem entregar à professora preferida dele, numa singela homenagem, assim que ela chegar para dar aula.
Nessa mesma manhã excepcionalmente quente de primavera, pouco mais de quinze pessoas são feitas reféns por dois homens armados dentro de um ônibus próximo à Lagoa Rodrigo de Freitas. Tirar as vítimas das garras daqueles sequestradores deveria ser competência exclusiva das forças policiais cariocas. Entretanto, depois que a Polícia Civil começa a agir e a imprensa monta seu aparato para que todo o país fique ciente do que está acontecendo, uma fatalidade faz com que o agente federal de Inteligência Matheus Erming entre na operação. A partir daí, a situação vai ficando cada vez mais desesperadora para todos os que acompanham o sequestro.
Para Miguel e sua mãe, que assistem a tudo na escola, o desespero e a sensação de impotência são amplificados quando se deparam com uma dura realidade e uma possibilidade talvez não tão remota. A realidade: a professora não chegará a tempo para a aula. A possibilidade: que aquela carta jamais seja lida.

A primeira vez que eu li esse livro eu achei ele bem estranho, mas A era de ouro do pornô com certeza tem seu charme. A história retrata a vida de Max, um escritor com um bloqueio emocional que leva a vida sem rumo, e enquanto trabalha como tradutor de algumas obras, ele se perde em meio a vários corpos suados e experiências sexuais que relata no seu dia-a-dia. A obra tem uma linguagem forte, mas mostra um lado humano que raramente vemos, o que é muito interessante. Super indicado!
Nota: 4/5

Sinopse: Max tem vinte e nove anos e mora sozinho em um apartamento em Porto Alegre. Faz bicos como tradutor e sonha em ser escritor, enquanto passa os dias bebendo, esperando o fim de um bloqueio criativo que o aflige há três anos. Você já leu essa história milhares de vezes, certo? Não exatamente. "A Era de Ouro do Pornô", primeiro romance de Zeka Sixx, autor do livro de contos "O Caminho dos Excessos" (Edição do Autor, 2015), parte de uma premissa aparentemente batida para se revelar uma fábula maldita, encharcada em álcool, sexo, cultura pop e niilismo. Mais do que Max, o anti-herói central, é a cidade de Porto Alegre, com seus habitantes - do sexo feminino, em especial -, o verdadeiro personagem do romance. O enredo se desdobra como uma montanha-russa, indo do sonho ao pesadelo num virar de página. "A Era de Ouro do Pornô" é uma sátira a uma geração que colocou sobre seus próprios ombros a necessidade de ser criativamente relevante.

Agora, se você não quer romance mas quer ler algum livro fofo, essa obra é a certa para você. O livro é destinado ao público adolescente mas isso não te impede de conhecer a Lucy e seus relatos sobre sua nova meia-irmã famosa. A narrativa é divertida, parece mesmo que a Lucy está conversando com a gente, o que deixa tudo mais fofo e mais lindo possível. Uma obra repleta de doçura e aprendizado.
Nota: 5/5

Sinopse: Fãs dos livros de Meg Cabot, Thalita Rebouças e Paula Pimenta vão adorar a história de Lucy B. Parker. Afinal, quem nunca brigou com as melhores amigas, fez besteiras no cabelo ou mandou cartas para um programa de TV?
Lucy fez tudo isso, e muito mais para conseguir lidar com a novidade que sua mãe acaba de lhe contar. O casamento dela com o pai de uma estrela teen de cinema, música e TV vai virar o mundo de Lucy de cabeça para baixo. E as comparações entre a garota desleixada que vive seus últimos dias de criança e sua meia-irmã superstar serão inevitáveis – e humilhantes.
Um livro leve e divertido sobre os desafios que toda garota enfrenta ao crescer. De forma bem-humorada, Lucy ensina como lidar com essa fase difícil e encantadora, pela qual toda adolescente passa.

Louras Zumbis é uma obra formidável e bem thrash. Encontrei a por acaso na Bienal do Livro de BSB e fiquei apaixonada pela capa e pelo preço (somente 10$). Imagina só encontrar uma história digna de filme da Sessão da Tarde e com um final todo em aberto? O livro retrata exatamente o que a capa vende. Há cheerleaders de torcida de uma pequena cidade tão perfeitas e tão estranhas que parecem mais zumbis, mas será que isso é verdade ou seria somente coisa da cabeça de Hannah, a menina que acabou de chegar e só quer se enturmar? A obra toda é narrada por Hannah e o leitor fica ávido para descobrir se as meninas são ou não são zumbis, além de ter aquela pitadinha de "livro adolescente" e "suspense". Eu adorei a obra, mais do que indicada.
Nota: 4/5

Sinopse: A partir do momento que Hannah Sanders chegou à cidade, ela sentiu que havia algo errado. Muitas casas estavam à venda, e a cidade parecia infectada por um silêncio sobrenatural. E então, no primeiro dia de Hannah no colégio, ela correu para um grupo de cheerleaders, as meninas mais populares da escola. O estranho era que elas eram quase idênticas na aparência: loira, bonita, e pálida. Mas Hannah quer desesperadamente se adaptar independentemente do que seu amigo Lukas está dizendo a ela. Quando seu sonho de ser uma delas começa a se tornar realidade ela vê que isso pode ser um pesadelo!

Quem ainda não leu nada do Sidney Sheldon não sabe o que está perdendo. Eu ganhei o livro do meu pai e somente depois que eu li, é que eu realmente pude ver a grandiosidade da obra. A senhora do jogo é o segundo livro depois de O reverso da medalha (e eu só fui saber disso agora depois de ter lido a sinopse) e fala sobre a família Blackwell e seus jogos de poder para liderar o império que eles possuem. Então já viu né? É uma trama cheia de segredos, mistérios e muitos elementos que deixam o leitor eletrizado e apaixonado pela escrita dos autores.
Nota: 5/5 ❤

Sinopse: A aguardada continuação de um dos maiores sucessos de Sidney Sheldon. No seu bestseller mundial, O reverso da medalha, o autor nos apresentou à glamurosa e manipuladora família Blackwell e sua inesquecível matriarca, Kate. Tilly Bagshawe, autora do elogiado Adorada, retoma a saga dos Blackwell, seus amores, dramas e conspirações desde a década de 1980 até os dias atuais, quando uma nova geração comanda os negócios da família. Tenso e provocativo, A senhora do jogo agradará aos milhões de fãs de Sidney Sheldon e tem tudo para conquistar novas gerações de leitores. Mais de 300 milhões de exemplares vendidos, de seus 25 títulos, em 180 países e traduzidos para 50 idiomas levaram Sheldon ao Livro dos Recordes Guinness, na categoria de "Autor Mais Traduzido do Mundo". Todos os seus romances chegaram ao topo das listas de mais vendidos. Sheldon também foi bem-sucedido no teatro, no cinema e na TV: criou 6 peças da Broadway, 25 roteiros de cinema e mais de 200 roteiros para séries televisivas.

Espero que tenham gostado das indicações e se já tiverem lido algum dessa lista, deixa sua opinião sobre o livro nos comentários.
Beijo!