Facebook

Encrenca - Non Pratt | Resenha

Sinopse: Quando o colégio inteiro descobre que Hannah Sheppard está grávida, ela tem um verdadeiro colapso. E quem está ao seu lado é Aaron Tyler, um aluno novo e o único garoto que não parece ter segundas intenções em relação a ela. Desejando compensar seus erros do passado, Aaron toma uma difícil decisão: ele se oferece para fingir ser o pai do bebê. E, temendo revelar quem é o verdadeiro pai, Hannah aceita.
Encrenca é a história de dois jovens que estendem a mão um para o outro quando todas as demais pessoas parecem lhes dar as costas. Em um período marcado por perdas, arrependimentos e esperança, os dois vão descobrir que nada se compara a encontrar o seu primeiro melhor amigo de verdade.
Este livro inteligente, por vezes comovente, por vezes engraçado, mostra que crescer pode ser complicado, mas é assim que se descobre o que realmente importa na vida.
Jovem adulto, romance | 307 páginas | Editora Verus 

Hannah Sheppard é conhecida por ser uma das garotas mais fáceis da escola, além de sua melhor amiga, Katie. Com uma fama duvidosa e ações rebeldes, ela leva a vida como quer, com muito sexo, álcool e cigarros. Até que ela se descobre grávida aos 15 anos e toda sua vida muda completamente. Com medo de falar quem é o pai da criança, Hannah passa a ser julgada por todos da escola. Afinal, foi ela que procurou isso, não?

Mas Aaron Taylor, o aluno novo e filho do professor de História transferido no meio do ano, não concorda com eles. Tentando fugir da culpa que o assola e o fez mudar de escola, Aaron resolve assumir a paternidade do filho de Hannah, achando que assim estará fazendo um bem em troca de todo o mal que fez no passado, quando ele era somente conhecido por Ty.

Mas enquanto os meses passam e a barriga dela cresce, os dois irão passar por muitas situações inusitadas, colocando à prova o plano que eles tinham tão bem traçado no começo.
Foto por Leitora Encantada

MINHA OPINIÃO

Estou tão apaixonada por Encrenca que senti que precisava terminar a história e vir correndo aqui conversar com vocês sobre ela. Infelizmente não tive oportunidade o dia todo, mas cá estou trazendo a vocês minha opinião sobre essa obra maravilhosa escrita pela Non Pratt, que aborda a realidade triste da gravidez na adolescência. 
Foto por Leitora Encantada
Só para deixar claro que eu não gostei da Hannah no começo do livro. Achei ela realmente uma vadia a maior parte do tempo do livro (vulgo "antes de descobrir estar grávida"). Ela não se valorizava nem um pouco, gostava de se auto afirmar bonita e gostosa e boa parte das ações dela me enojaram, não é a toa que ela ganhou o apelido carinhoso de vagabunda por todos da escola. É muito comum julgarmos uma pessoa assim e no fim, quando essa tal pessoa aparece grávida, nós a chamarmos de burra ou merecedora do que aconteceu com ela. Eu achei a Hannah realmente burra, suas ações provam exatamente isso, mas ela nada mais é que uma adolescente que tomou uma decisão ruim e acabou sofrendo circunstâncias drásticas por isso, mas que fique claro que ninguém deve julgar uma pessoa por ter passado por tal coisa, até porque "quem somos nós?".

Se por um lado a Hannah me irritou com as idiotices dela e começou a ganhar meu apreço já no meio do livro (é bem impossível não se sentir compadecido pela situação atual dela, afinal, ela só tem 15 anos!), o Aaron foi um personagem totalmente mais fácil de gostar, aliás, ele é meu novo crush literário ❤ QUEM no mundo assumiria a paternidade de um filho de uma garota que você mal conhece e que claramente não é seu? É claro que a atitude do Aaron não é algo que vemos todos os dias, e provavelmente nem veremos, mas foi notável, foi bonita e ele merece todos os pontos do mundo por não só, não julgá-la mas também por apoiá-la, coisa que ninguém fez além de sua família.
Foto por Leitora Encantada
E falando em família, a relação da família e ambos os personagens é bem explorada aqui. Amei os pais de cada um, eles protegendo seus filhos à sua maneira, coisa que raramente vejo na realidade quando alguma adolescente descobre estar grávida e se recusa a falar quem é o pai. E se você acha que Hannah não sabe quem é ele, você está muito enganada. Desde o começo a autora vai nos jogando pistas de quem pode ser e confesso que eu levei um soco na cara quando o tal nome foi revelado, e caramba, senti uma revolta incontrolável e senti mais raiva ainda da Hannah por ter realmente sido muito burra (entendedores, entenderão).

O dito cujo pai do bebê foi personalizado com aquele típico estereótipo de garoto que faz merda e não assume suas responsabilidades, e foi nessas horas que sentia mais raiva de Hannah, porque mesmo sabendo que o carinha não prestava, ela ainda assim desejava ele ~questões do amor, bléh~. 

A autora aborda temas como aborto, bullying e amizade de uma forma dinâmica e plausível, além de ter uma narrativa muito leve e cativante. O livro gira em torno da gravidez de Hannah mas também foca no passado de Aaron, que esconde algo que visivelmente ele não quer que ninguém saiba, o que deixa a história mais intrigante.
Foto por Leitora Encantada
Ah, antes que eu me esqueça! Se você espera um romance entre o casal, tire o cavalinho da chuva porque isso não vai acontecer. Eu até torci para eles mas o foco da autora realmente é em outras questões, ou seja, terminamos o livro com várias perguntas não respondidas: será que Aaron e Hannah irão ficar juntos? O pai do bebê vai enfim vestir as calças e assumir a responsabilidade pela criança? A Hannah vai conseguir passar de ano? e como ela vai levar a vida daqui em diante? Infelizmente a autora nos presenteou com um final em aberto, então cabe a nossa imaginação fazer um final para a história, mas se vocês souberem se terá uma continuação dessa história, me contem, porque com toda a certeza eu vou ler!

Encrenca é um livro adolescente que aborda temas realistas e infelizmente corriqueiros na vida dos adolescentes de hoje. A escrita da autora faz com que além de nos sentir conectados aos personagens, faz com que tenhamos uma percepção melhor sobre pessoas que realmente sofrem com essa realidade na vida real, mostrando uma forma de agir e principalmente ensinando como não agir em situações como essa. É um livro lindo e super favorito do ano!

Isla e o final feliz (Anna, Lola e Isla #3) - Stephanie Perkins

Sinopse: Tímida e romântica, Isla tem uma queda pelo introspectivo Josh desde o primeiro ano na SOAP, uma escola americana em Paris. Mas sua timidez nunca permitiu que ela trocasse mais do que uma ou duas palavras com ele, quando muito.
Depois de um encontro inesperado em Nova York durante as férias envolvendo sisos retirados e uma quantidade considerável de analgésicos, os dois se aproximam, e o sonho de Isla finalmente se torna realidade. Prestes a se formarem no ensino médio, agora eles terão que enfrentar muitos desafios se quiserem continuar juntos, incluindo dramas familiares, dúvidas quanto ao futuro e a possibilidade cada vez maior de seguirem caminhos diferentes.
Com participações de Anna, Étienne, Lola e Cricket, personagens mais do que queridos pelo público apresentados em livros anteriores da autora, Isla e o final feliz é uma história de amor delicada, apaixonante e sedutora, um desfecho que vai fazer os fãs de Stephanie Perkins suspirarem ainda mais.
Romance | 304 páginas | Editora Intrínseca 

Isla sempre teve uma quedinha por Josh, um de seus colegas na SOAP, a escola americana situada em Paris. Mas por ser muito tímida e somando o fato dele ter uma namorada, Isla nunca conseguiu se aproximar ou ser notada. Agora no último ano do ensino médio, onde todos seus esforços deverão estar focados nas admissões da faculdade, em um encontro repentino dos dois em Nova York, cidade onde ambos moram, Josh começa a perceber pela primeira vez Isla e daí uma forte atração nasce entre os dois.

Não demora muito e ambos começam a namorar, para total contentamento de Isla que sempre desejou isso. Mas com o ano escolar acabando e o comportamento de Josh indiferente as suas notas escolares, Isla se pergunta se fez ou não a decisão certa ao decidir namorar o tão sonhado amor da sua vida.
Foto por Leitora Encantada

MINHA OPINIÃO

Isla e o final feliz foi uma obra que me levou sentir muitos sentimentos controversos durante sua leitura. Talvez seja por isso que eu tenha sentido vontade de abandoná-lo diversas vezes. Antes de mais nada, quero confessar que faz tempos já (desde De repente acontece mais precisamente) que as obras da Perkins não tem me enchido mais de água nos olhos, sua narrativa que antes para mim era leve e descontraída se tornou chata e enfadonha. Mas vou abordar essas coisas melhor ao longo dessa resenha e escrever os pontos que não gostei em tópicos, pra ficar tudo mais organizadinho.
Foto por Leitora Encantada
Em 1º lugar, o que eu não gostei foi do casal. Isso mesmo, pra mim Isla e o Josh não tinham a menor química. Eles eram totalmente blasé, sem graça, muito Bella e Edward do Crepúsculo. Ela é muito tímida, ele introspectivo demais e isso não resultou em nada de bom. Na minha opinião a Isla acabou idealizando um Josh maravilhoso - típico daquelas garotas que observam um cara há muito tempo e acham que sabem tudo sobre ele, mas quando vão conhecê-lo, percebem que nem do sabor do sorvete favorito elas sabem -. Essa idealização dele fez com que ela acabasse colocando o namoro deles em um pedestal, o que foi extremamente forçado já que não achei química no casal. Sem contar que Josh tem umas atitudes muito rebeldes e sua influência sobre a Isla na verdade foi tanto positiva quanto negativa, tendendo mais para o negativo, o que me leva ao segundo motivo de não ter gostado tanto assim da história.

Em 2º lugar, a Isla tem um melhor amigo, o Kurt. No começo da narrativa é difícil gostar dele e entendê-lo, mas quando o leitor percebe que Kurt tem uma condição - autismo -, ele fica super mais agradável aos olhos do leitor. O chato é que por ter essa condição, Kurt não consegue mentir ou entender sarcasmo, e o namoro da Isla com Josh fez com que ela acabasse criando uma ruptura desnecessária com seu melhor amigo. O pior foi todas ás vezes que Isla tentou colocar a culpa em Kurt por situações que ela mesmo criou - como se você fizesse merda mas ficasse com raiva do seu amigo por ele não ter te acobertado -. Isso me tirou do sério completamente. Achei as ações dela super egoístas nestas horas.
Foto por Leitora Encantada
E por último lugar, quando eu resolvi começar a dar uma outra chance ao livro e tentar gostar dos personagens, eu realmente comecei a me interessar por Josh. A autora começa a abordá-lo de uma forma mais explanada, então dá pra entender suas motivações e sua personalidade, que é realmente chata (por ele ser todo introspectivo e tals). Bem quando começo a gostar dele, a Isla começou a fazer uma monte de merda, estragando algumas cenas da história com sua insegurança. Ou seja, a balança em relação a gostar ou não da obra sempre pendia pro lado ruim. 
Foto por Leitora Encantada
Enfim com muita persistência consegui terminar a leitura e até que o final não foi decepcionante. Só comecei a torcer pelo casal já no final da história, mas antes tarde do que nunca né? Mesmo assim, foi árduo ver personagens tão irritantes/sem graça/idiotas/sem química como esses dois. Talvez eu não esteja realmente mais gostando das obras da autora, o que é uma pena porque adorei muito os outros dois livros da trilogia. 

E se você já leu as outras obras e realmente gosta da autora, não se acanhe por essa resenha e leia sim o livro. Talvez você tenha uma experiência melhor que a minha e compartilhe de uma opinião oposta.



Desejo Insaciável (Série Imortais #1) - Kresley Cole | Resenha

Sinopse: Um incansável guerreiro mítico. Nada o deterá até que possua a...
Depois de suportar anos a fio torturas constantes comandadas pela Horda dos vampiros, Lachlain MacRieve, líder do clã dos Lykae, fica enfurecido ao descobrir que sua parceira, há tanto tempo profetizada e pela qual espera há mais de um milênio, é uma vampira, assim como seus captores. Na verdade, Emmaline Troy é metade Valquíria, metade vampira. Jovem delicada e etérea que, com seu jeito todo especial de ser, é a única que pode suavizar a fúria que incendeia o faminto Lykae.
Uma vampira prisioneira de sua fantasia mais selvagem...
A doce Emmaline decide sair pelo mundo em busca da verdade sobre seus pais desaparecidos. Em Paris, um poderoso espécime Lykae a encontra, determina que ela será a sua parceira por toda a eternidade e a leva para o castelo escocês dos seus ancestrais. Lá, o pavor que Emmaline sente do Lykae – e da sua insaciável fome de prazer – faz com que ele inicie um lento e envolvente jogo de sedução e ela liberte suas mais sombrias fantasias.
Fantasia, romance | 352 páginas | Editora Valentina 

Em um mundo chamado Lore coabitam entre si todos os imortais, aqueles que acabaram sendo agraciados com dons e o poder da vida eterna. Entre as espécies, existem o clã dos Lykae, que são mais conhecidos como lobisomens, sendo Lachlain o rei deles. Lachlain acabou sendo capturado em uma emboscada pelos seguidores de Desmetriu, o rei da Horda de Vampiros. Durante 150 anos, Lachlain foi torturado e queimado no fogo até sua morte para que revivesse e passasse pela mesma agonia outra vez, mas há algo que poderá salvá-lo das catacumbas e libertá-lo: o cheiro de sua parceira.

Há milênios Lachlain procura a sua companheira que lhe foi destinado, mas somente agora ele pode enfim sentir seu cheiro e sua presença. Desesperado para sair dali e não perder o cheiro de vez, ele consegue fugir e encontrar a moça que tanto ansiava. Ele só não esperava que a pequena e frágil Emmaline, poderia ser uma vampira, de uma raça inimiga. 
Foto por La Garota
Emma Troy na verdade foi criada por uma mãe adotiva e suas tias que são Valquírias, outros seres imortais com aparência de fadas e que se alimentam de relâmpagos. As Valquírias são igualmente tenebrosas e perigosas, mas ao criar Emma, elas lhe ensinaram a ser gentil e boa, praticamente um cordeirinho. Emma sabe que é metade valquíria e vampira, mas necessita encontrar seu pai verdadeiro para descobrir que tipo de ser ela realmente é. E foi justamente enquanto estava a sua procura pelas ruas de Paris que ela foi capturada por Lachlain.

Em suas mãos, Emma fará de tudo para ter sua liberdade outra vez, ao mesmo tempo que Lachlain tenta se habituar a peça que o destino lhe pregou. Como sua parceira pra toda a vida poderia logo ser uma vampira? Mas mesmo que não possa fazer nada para mudar a situação, Lachlain está mais do que disposto a ficar com Emma e revindica-la para si. O problema? Ela o acha aterrorizador e o que mais quer é fugir das garras dele.

MINHA OPINIÃO

Depois de prorrogar esta leitura durante algum tempo, eis que decido enfim ler o primeiro livro da série Imortais, e não é que eu simplesmente adorei? Gente, estou completamente apaixonada por esse livro!!! O mundo que a autora criou é muito interessante, mas o que realmente me atraiu aqui foi a personalidade de Lachlain, que é uma fera, apegada a seus instintos e aos prazeres carnais e não nega o que é. Cada cena dele era maravilhosa, eu fiquei até sem fôlego! Mas vamos começar a falar mais devagar senão eu me empolgo demais...

Primeiro conhecemos Lachlain e seu desejo de vingança pelos vampiros. Durante muito tempo ele tem sido torturado e só há uma coisa que o mantém são: a vontade de se libertar e matar todos que fizeram isso com ele. Ele então recebe a ajuda de sua parceira, que através do cheiro dela, faz com que ele encontre forças dentro de si que nem sabia mais que existiam e consiga se soltar.
Foto por Galáxia dos Desejos
O encontro de Emma e Lachlain é uma explosão de sentimentos. Como você reagiria se um cara alto, grande e com uma aparência de molhar calcinhas simplesmente te agarrasse no meio da rua e dissesse que você é dele? É claro que isso assustaria qualquer pessoa, e é exatamente isso que Emma sente ao ver Lachlain: medo, e claro, um certo tesão rsrs 

Eu gostei muito da personagem Emma porque ela mesmo se auto intitula tímida e covarde. Ela prefere fugir e correr a ter que enfrentar qualquer problema e vemos isso muitas vezes durante o desenvolvimento da história. Assim como Lachlain foi pintado de um macho alfa a procura de prazer. Muitas cenas acredito que incomodaria algumas leitoras pelo fato do mocinho ser arrogante, impôr sua vontade sobre a Emma diversas vezes e forçá-la a situações que ela não quer, mas entendi que a autora queria dar a personalidade de um "lobisomem" ao personagem, e com certeza Lachlain assumiu bem o papel. Nem preciso dizer o quanto gostei dele né? Achei muito engraçado todas os pensamentos sobre Emma que ele teve, oras repletos de conotação sexual, ora confusos, já que Lachlain se liberta em uma época que ele pouco entende, então ele vai aprendendo aos poucos como a nossa tecnologia funciona, o que gera muitas risadas do leitor. 
Foto por O Blog da Mari
Há várias cenas quentes no livro, mas não taxaria a história como erótico e sim sensual. Tudo aqui retratado foi muito bem escrito, para que o leitor se sentisse atraído pela narrativa da autora e eu senti exatamente isso. Confesso que muitas coisas ainda foram pouco explanadas, mas se tratando de uma série com quase 14 livros, imagino que a autora queira explorar melhor o mundo que ela criou nas outras obras, e se for assim, quem sou eu para reclamar.

Como disse mais acima, eu fiquei completamente apaixonada pela obra e adorei a forma como a autora dosava fantasia, ação e uns aspectos de normalidade a vida de dois seres sobrenaturais. Era uma coisa engraçada! Depois de passar por tanto perrenque, o casal ás vezes se via assistindo filmes na televisão como se nunca tivessem lutado na vida. Achei isso bem interessante, até porque trazer somente ação e partes tenebrosas e tensas ao livro realmente não me agrada, então obrigada Sra. Cole por ser tão legal.

Desejo insaciável é um livro que fala sobre exatamente isso: desejo. Referências ao ato sexual é o que não vai faltar aqui, mas a autora soube trazer isso de forma sensual e não totalmente ofensiva. Amei cada personagem e a narrativa que fora eletrizante! O livro é super indicado a todos os leitores mas ressalto que há algumas cenas machistas aqui, então pode ser que algum de vocês não gostem, mas no geral eu super indico.

Batalha de Capas: Minha vida mora ao lado - Huntley Fitzpatrick


Oi, gente! Trouxe mais uma batalha de capas para vocês, dessa vez com o livro Minha vida mora ao lado da Huntley Fiztpatrick. Nunca li o livro mas já vi muitas resenhas positivas e igualmente negativas sobre a obra, mas pretendo ainda assim ler. Antes de tudo, vamos lembrar como é a capa brasileira, que é linda, com todos esses detalhes em verde.

CAPA BRASILEIRA


CAPAS GRINGAS

Estados Unidos: Achei que a capa até parece com a capa brasileira, muito bonita por sinal. Com certeza é minha favorita.
Alemanha: A capa é fofa, mas não sei dizer se esse carro representa a história, então não posso opinar sobre ele, mas adorei os tons de azul nela, linda.
Hungria: (Não sei se essa capa é realmente da Hungria, então se não for, comentem). Eu achei essa capa bonita, mas não acho que ela representa bem a história, achei esse céu no fundo muito sem graça.
Alemanha: Acho que essa capa é a que menos condiz com o livro já que o casal parece ser muito mais velho do que os personagens, além dela ser melhor aplicada a algum livro com fazendas, sei lá.

Veredito: De todas eu gostei mais da capa do Brasil e a dos EUA, com certeza as mais bonitas. E vocês?



CAPA VENCEDORA DO DESAFIO ANTERIOR