Facebook

4 leituras que não vingaram

É muito chato para um leitor desistir de determinada leitura, e pelo que já vi aqui na blogosfera, a maioria não gosta de fazer tal coisa, por isso insistem tanto em terminar um livro, mesmo que ele seja um tédio ou tenha personagens abomináveis. Já eu não tenho esse problema. A leitura está empacando? Não tenho problema nenhum em ler o próximo. Por isso vou falar de quatro livros que não necessariamente abandonei, mas comecei a leitura e até hoje não consegui terminar por vários motivos.

Há muitos anos eu li Fingido, o segundo volume de Perdendo-me. Mas como na época eu não sabia que se tratava de uma trilogia, li fora de ordem mesmo e adorei a história. Por isso fiquei louca para ler os outros volumes, o problema é que a mágica de Fingindo não funcionou com essa história. Achei tudo um tédio e não conseguia gostar do roteiro da história. 
VIRGINDADE.
Bliss Edwards vai se formar na faculdade e ainda tem a sua. Chateada por ser a única virgem da turma, ela decide que o único jeito de lidar com o problema é perdê-lo da maneira mais rápida e simples possível com uma noite de sexo casual.
Tudo se complica quando, usando a mais esfarrapada das desculpas, ela abandona um cara charmosíssimo em sua própria cama. Como se isso não fosse suficientemente embaraçoso, Bliss chega à faculdade para a primeira aula do último semestre e... adivinhe quem ela encontra?

Também já li a série Na companhia de assassinos da mesma autora que Entre o agora e o nunca, mas assim que comecei a leitura, eu achei tudo muito chato. Não consegui gostar dos personagens e nem da súbita amizade que eles fizeram. Achei tudo muito forçado e meio irreal, impossível de acontecer hoje em dia. O triste é que muita gente gostou dessa obra e eu ainda não sei porque. 
Camryn Bennett é uma jovem de 20 anos que desistiu do amor desde que Ian, seu namorado, morreu num acidente de carro há um ano. Sua melhor amiga, Natalie, é a única capaz de animá-la. Mas a relação entre as duas fica abalada quando o namorado de Nat revela à Camryn que está apaixonado por ela. Perdida, sem saber o que fazer, Camryn vai para rodoviária e pega o primeiro ônibus interestadual, sem se importar com o destino.
Com uma carteira, um celular e uma pequena bolsa com alguns itens indispensáveis, Camryn embarca para Idaho. Mas o que ela não esperava era conhecer Andrew Parrish, um jovem sedutor e misterioso, a caminho para visitar o pai, que está morrendo de câncer. Andrew se aproxima da companheira de viagem, primeiro para protegê-la, mas logo uma conexão irresistível se forma entre os dois.
Camryn tenta lutar contra o sentimento, já que jurou nunca mais se apaixonar desde a morte de Ian. Andrew também tenta resistir, motivado pelos próprios segredos. Narrado em capítulos que alternam as vozes de Andrew e Camryn, Entre O Agora e O Nunca é uma história de amor e sexo, na qual os personagens testam seus limites, exploram seus desejos e buscam o caminho que os levará à felicidade.

O mesmo aconteceu com Lick. Achei o casal muito nada a ver, sem contar que a protagonista era um saco, uó.
Uma noite de aventuras. Um casamento inusitado. E uma ardente história de amor...
No impulso de uma noite de diversão e bebedeira em Las Vegas, Evelyn Thomas casou-se com um desconhecido. No dia seguinte, porém, ela se deu conta de que aquilo fora um terrível engano. Então, decidiu manter este pequeno deslize em segredo.
O que Evelyn não sabia era que havia se tornado a esposa do cobiçado David Ferris, guitarrista da famosa banda de rock Stage Dive. Agora, ao retornar para sua casa em Portland, ela terá de enfrentar as perseguições de repórteres, fugir às loucuras das fãs do astro e ainda encarar sua família, que não demonstrou nenhum contentamento com o ímpeto matrimonial da jovem filha.
Será que Evelyn conseguirá resistir às delícias de David a fim de permanecer como “a garota certinha” ou decidirá embarcar nessa glamourosa aventura junto ao marido rockstar?

Esse livro ele tem um apelo diferente. Eu gostei muito da temática da história e de como a autora desenvolveu isso, tanto que cheguei até a metade dele, o problema é que eu nem lembro porque parei de ler. Simplesmente deixei para ler mais tarde e acabei nunca tendo vontade de voltar. Mas esse sim eu pretendo terminar.
Em mais uma excitante série, a renomada autora Lena Valenti aborda agora as nuances do universo BDSM. Amos e Masmorras é um dos mais recentes sucessos da autora e se tornou best-seller internacional. A agente Cleo Connelly, integrante do corpo de polícia em Nova Orleans, é uma mulher atraente e destemida, que não mede esforços e impulsos na resolução dos casos que assume. Certo dia, entretanto, ela é designada para investigar, junto ao FBI, uma lucrativa rede de tráfico humano. Para cumprir a missão, ela precisará se inserir em um contexto inusitado: visitar a cena BDSM do país e participar das práticas de sodomia e dominação instituídas no torneio Dragões e Masmorras DS. Agindo como agente infiltrada, Cleo terá de pesar os limites de sua própria luxúria nesta implacável caçada, considerando também a arrebatadora atração que sente por Lion Romano, seu parceiro no caso. Mas será que, no meio do caminho, ela vai gostar de ser submissa? Renda-se aos deleites desta intrigante e sensual narrativa!

Roube meu coração - Susan Mallery | Resenha

Há dez anos, Maya Farlow partiu o coração do sensual Del Mitchell. Superindependente, ela não soube lidar com esta paixão avassaladora e decidiu fugir. Agora, Maya precisa trabalhar ao lado de Del para promover a cidade de Fools Gold. Por mais que este charmoso bad-boy esteja decidido a não se envolver com Maya novamente, ele é viciado em adrenalina. E nenhuma de suas aventuras radicais foi tão emocionante quanto entregar seu coração para Maya.
Romance | 272 páginas | Editora HaperCollins Brasil | Nota: 

Depois que sua melhor amiga Phoebe resolveu se mudar para o rancho de Zane, seu meio-irmão, em Fools Gold, Maya Farlow agora conseguiu um emprego na prefeitura para ajudar nos programas de TV a cabo, também promovendo a cidade, já que Maya entende muito bem do assunto. 

O que ela não esperava é que Del Mitchell, o único cara que ela amou e que ela quebrou deliberadamente o coração há 10 anos atrás, voltaria para Fools Gold para ajudá-la no projeto. Essa reaproximação dos dois fará com que muitos sentimentos do passado voltem à tona, mas agora Maya sente que pertence a algum lugar, enquanto Del deixa claro que assim que o verão acabar, ele deixará tudo para trás e embarcará em sua próxima aventura. Como será que ambos poderão lidar com a situação se a atração que sentem é inevitável?
Foto por Leitora Encantada

MINHA OPINIÃO

Sabe quando você termina um livro muito bom e sai correndo para ler os outros da série porque automaticamente acha que ele também vai ser maravilhoso, mas no fim quebra a cara porque percebe que esse livro nunca chegará aos pés do que você leu antes? Pois é... Roube meu coração me fez sentir exatamente isso. Alguns dias atrás eu fiz a resenha de Beije minha alma, livro que precede esse, e como terminei dando 5 estrelas para a obra, claro que fui desesperada ler o próximo. O fato é: nada aqui me chamou atenção e eu acabei terminando minha leitura totalmente frustrada. 

Agora e sempre - Judith McNaught | Resenha

Autora de mais de quinze best-sellers, Judith McNaught constrói histórias cativantes de esperança e amor, como Agora e sempre. Em 1815, a americana Victoria Seaton perde os pais em um trágico acidente. Ela e a irmã Dorothy ficam desamparadas até descobrirem que a mãe pertencera à aristocracia inglesa. As irmãs são forçadas a partir para a Inglaterra e se hospedarem na casa de parentes desconhecidos. Victoria surpreende-se com seu primo distante, o lorde Jason Fielding, disputado pelas mais belas mulheres da alta sociedade. Confusa pela arrogância de Jason, mas atraída por seu forte poder de sedução, ela percebe o primo é assombrado por um passado doloroso.
Romance, ficção | 415 páginas | Editora Bestbolso | Nota: 

Em 1815, Victoria Seaton e sua irmã Dorothy perderam seus pais em um trágico acidente de carruagem. Sem herança para conseguirem se sustentar, as meninas acabam descobrindo que sua mãe, Katherine Seaton, é bisneta da duquesa de Claremont. Porém, a duquesa exige que somente Dorothy fique em sua casa, já que Victoria com seus cabelos ruivos, olhos límpidos e azuis e uma coragem marcante lhe lembra muito a neta, que acabou rompendo com a avó antes de fugir com o pai das meninas para a América. 
Foto por Leitora Encantada
O duque de Atherton, um antigo amor de Katherine, acaba ficando com a responsabilidade de cuidar da filha de sua amada. Mas o que poderia se tornar um inconveniente se mostra maravilhoso aos olhos do velho, já que este deseja um herdeiro, e fará de tudo para que Jason Fielding, seu filho ilegítimo case-se com a moça. 
Foto por Leitora Encantada
O problema é que Jason já foi casado e aprendeu da pior maneira o que uma mulher pode fazer quando quer algo dele. Amargo com o passar dos anos desde que perdeu seu único filho em um naufrágio, ele fica furioso ao saber que seu pai anunciou em um jornal seu noivado. Disposto a mandar Victoria embora de sua casa, ele a trata rudemente mas a moça não se assusta facilmente e acaba desafiando-o, o que nenhuma mulher e nem mesmo os criados de Jason jamais fizeram. 

Minha primeira experiência com doramas

Tem uma galera, principalmente meninas, do meu Facebook que simplesmente amam doramas e ficam horas assistindo esses programas, mas como já fui apaixonada por mangás, uma fase que vergonhosamente não me orgulho muito, eu nunca me interessei de fato para saber bem o que era. Se você também não sabe do que estou falando, aí vai uma definição sobre doramas:
...também nomeado como dorama ou j-drama, é a designação dada aos dramas televisivos em língua japonesa realizados pela televisão do Japão. Todas as principais redes de televisão do país produzem uma variedade de séries dramáticas, incluindo romance, comédia, histórias de detetive, horror dentre outros.
Porém, há um tempo atrás estava vendo alguns vídeos sobre Gossip Girl, e acabei vendo um trailer de um dorama chamado Destiny to you, e eu fiquei tão curiosa a respeito da história que resolvi procurá-la para assistir. Pena que o trailer que vi é um teaser que ainda irá lançar esse ano, mas como Fated to love you (nome original) já teve vários remakes, resolvi assistir esse feito pela galera coreana.

A doce, esforçada e tímida Kim Mi Young (Jang Nara) tem muito pouco quando se trata de educação, beleza ou saúde. Mas tudo muda em uma fatídica noite de amor acidental com o mimado e rico herdeiro da empresa da família Lee Gun (Jang Hyuk). Sua insignificante existência se transforma completamente quando descobre que está grávida e que deve entrelaçar sua vida à dele em um casamento às pressas. O casal decide tirar o melhor da má situação, porém quando Lee Gun começa a mostrar sua afeição crescente por Kim Mi Young, seu primeiro amor volta à cena para reivindicar sua posição.
Basicamente a história fala sobre a noite de amor acidental da desinteressante Kim Mi Young e o CEO de uma empresa, Lee Gun. Mi Young acaba engravidando e por isso se casa com Gun. Gun ama Se Ra, uma bailarina profissional e era ela que ele queria pedir em casamento, mas a convivência com Mi Young vai mudando seu jeito de pensar. Porém, a história dá uma guinada de 360º graus e ambos acabam se separando.

Fated to love you pode ser visto de duas partes, já que a primeira é quando os personagens principais se vem casados e a segunda é três anos após isso. A sinopse pode parecer meio boba, mas há realmente um drama aqui e uma história mais profunda. É feita pra chorar, ao mesmo tempo que matar o telespectador de tanta fofura.
Como nunca tinha assistido um dorama, achei tudo meio dramático e exagerado demais. É tudo muito fofo e ao mesmo tempo idiota. As ações e interpretações dos atores são MUITO aquém das possibilidades. Enquanto Gun é engraçado, um pouco idiota e tem uma risada assustadora, Mi Young é meio bobinha e muito tímida. É um casal bem impossível, mas é claro que eles acabam encantando o coração de quem os assiste. Eu devo dizer que acho estranho esse "recato" por parte das orientais, elas fingem uma timidez tão grande que é impossível acreditar que isso possa existir na vida real. Além disso, os homens são estranhos (ao menos no dorama) e até o jeito deles de falar consegue soar diferente e bizarro. Fico me perguntando se eles são realmente assim ou se só pintam essa característica para fazer os animes/programas de TV.
A história em si é bem legal. É fofo ver ambos os personagens se aproximando e eventualmente se apaixonando, mesmo que demore 10 episódios para eles darem um beijinho sequer, e olha que foi um beijo que eu daria na minha avó de tão sem graça. Acho que senti falta de momentos sensuais na trama, de momentos do dia a dia que a maioria dos casais fazem hoje em dia - eu nem sei se existem doramas assim mas se tiverem, me dê uma indicação aí nos comentários *como disse, esse recato das orientais é muito estranho*.

Eu amei a Mi Young, ela é muito amorzinho, daquelas que dá vontade de apertar a bochecha de tão fofa. E gente, pensa numa menina que come! Acho que nunca vi uma personagem comer tanto que nem a Mi Young. Já Gun é muito idiota, meu Deus, mas ele com certeza é um personagem cômico, que traz uma graça diferente ao programa.
O final foi bem fofinho, teve momentos que realmente me emocionei com a obra e outras vezes achava que ela poderia ter tido bem uns dois episódios a menos, mas no fim gostei de tudo. Foi uma primeira experiência muito boa para quem realmente não curtia nada além de animes e mangás, e quero muito poder assistir outras, então quem gosta e quiser me indicar algum bem legal, fique a vontade.

Geekerela - Ashley Poston | Resenha

Um divertido romance que traz a clássica história de Cinderela para os dias de hoje.
Quando Elle Wittimer, nerd de carteirinha, descobre que sua série favorita vai ganhar uma refilmagem hollywoodiana, ela fica dividida. Antes de seu pai morrer, ele transmitiu à filha sua paixão pelo clássico de ficção científica, e agora ela não quer que suas lembranças sejam arruinadas por astros pop e fãs que nunca tinham ouvido falar da série. Mas a produção do filme anunciou um concurso de cosplay numa famosa convenção valendo um convite para um baile com o ator principal, e Elle não consegue resistir. Na Abóbora Mágica, o food truck vegano onde trabalha, ela encontra a ajuda de uma amiga cheia de talentos para moda que vai criar o traje perfeito para a ocasião. Afinal, o concurso é a chance de Elle se livrar das tarefas domésticas impostas pela terrível madrasta e das irmãs postiças malvadas.
Já Darien Freeman, o astro adolescente escalado para ser o protagonista do filme, não está nada ansioso para o evento, embora o papel seja seu grande sonho. Visto como só mais um rostinho bonito, o próprio Darien também está começando a achar que se tornou uma farsa. Até que, no baile, ele conhece uma menina que vai provar o contrário.
Esta releitura de Cinderela transporta para o universo nerd os principais elementos do clássico conto de fadas, fazendo uma verdadeira homenagem a todos aqueles que sabem o que é ser fã e se dedicar de coração àquilo que amam.
Ficção, romance, fantasia, jovem adulto | 384 páginas | Editora Intrínseca | Nota:

Danielle Wittimer sempre foi uma criança sonhadora, inspirada pela série Starfield, que mudou não somente sua vida, mas a de seus pais. E depois que seu pai morreu, deixando Elle na custódia de Catherine, sua madrasta até que complete 18 anos, é a série de ficção que sempre a mantém de pé. Ela trabalha na Abóbora Mágica, um food-truck vegano com Hera, uma garota lésbica de cabelos verdes e cheia de atitude, mas que até agora não estendeu uma bandeira de amizade para Elle.

Elle está animada porque depois de muito tempo Starfield vai ganhar um remake, e ela não vê a hora de comentar sobre o elenco principal no seu blog intitulado Artilharia Rebelde. Mas assim que ela descobre que o personagem principal Carmindor, será interpretado pelo galã-mirim Darien Freeman, ela já não está tão animada assim, pior, ela se sente ultrajada. Como podem colocar um garoto que mal deve ter assistido a série para interpretar alguém que salva a galáxia?
Foto por Leitora Encantada
É aí que ela resolve participar de um concurso de cosplay que acontecerá em um dos maiores eventos sobre Starfield, e assim poderá concorrer ao prêmio de $500 dólares, e quem sabe se ver livre de sua madrasta e as meias-irmãs.