Facebook

Caraval - Stephanie Garber | Resenha

Scarlett nunca saiu da pequena ilha onde ela e sua irmã, Donatella, vivem com seu cruel e poderoso pai, o Governador Dragna. Desde criança, Scarlett sonha em conhecer o Mestre Lenda do Caraval, e por isso chegou a escrever cartas a ele, mas nunca obtivera resposta. Agora, já crescida e temerosa do pai, ela está de casamento marcado com um misterioso conde, e certamente não terá mais a chance de encontrar Lenda e sua trupe, mas isso não a impede de escrever uma carta de despedida a ele.
Dessa vez o convite para participar do Caraval finalmente chega à Scarlett. No entanto, aceitá-los está fora de cogitação, Scarlett não pretende desobedecer ao pai. Sendo assim, Donattela, com a ajuda de um misterioso marinheiro, sequestra e leva Scarlett para o espetáculo. Mas, assim que chegam, Donattela desaparece, e Scarlett precisa encontrá-la o mais rápido possível.
O Caraval é um jogo elaborado, que precisa de toda a astúcia dos participantes. Será que Scarlett saberá jogar? Ela tem apenas cinco dias para encontrar sua irmã e vencer esta jornada.
Aventura, fantasia, jovem adulto, romance | 400 páginas | Editora Novo Conceito | Nota: 

Scarlett Dragna cresceu ouvindo as histórias da avó que contavam sobre o Caraval, um grande evento comandado pelo misterioso Mestre Lenda. A cada ano o Caraval, assim como Lenda e sua trupe, estava em um lugar diferente e seu jogo também mudava, assim como o prêmio. Desde os 11 anos, Scarlett escreve cartas ao Mestre pedindo que ele venha até a Ilha de Trisda, onde ela e sua irmã Donatella moram.

Porém, com o passar dos anos, a magia que tanto encantava a moça antes foi sumindo de sua vida. Sofrendo os abusos violentos do pai, o Governador Dragna, Scarlett está de casamento marcado com um conde que sequer viu pessoalmente, mas ele seria sua única chance dela e de Tella viverem longe de seu pai. Assim, ela escreve sua última carta a Lenda, lhe contanto de seu noivado e somente nesta vez, ele lhe responde convidando-a para o próximo Caraval que irá ter, enviando também três ingressos para ela, sua irmã e seu futuro marido.
Foto por Leitora Encantada
É impossível para Scarlett ir ao evento tão perto de seu casamento, e se seu pai descobre que ela teria pensado em tal loucura, faria coisas piores a ela e a sua irmã, mas Tella, que sempre foi a mais impulsiva das irmãs, cansada de Scarlett ser tão cautelosa arma um plano para que ela e a irmã consigam fugir da ilha, e para isso ela recorre a Julian, um marinheiro que acaba de atracar na ilha.

Julian tem vários segredos mas também deseja ir ao Caraval, por isso aceita a oferta de Tella e acaba sequestrando Scarlett. Mas assim que chegam lá, Tella desaparece misteriosamente, deixando sua irmã mais velha muito preocupada. Agora Scarlett e Julian precisam encontrar Tella a tempo de voltar para a ilha, ao mesmo tempo que Scarlett tenta resistir a chance de jogar e concorrer ao prêmio principal: um desejo.
Foto por Leitora Encantada

Abandonei sem dó: Um amor para Lady Johanna - Julie Garwood

Oi gente! Hoje teremos mais um post da coluna Abandonei sem dó, com um livro que infelizmente acabou não me agradando. Como sou apaixonada por romances de época e esse estava há muito tempo na estante, resolvi ler Um amor para lady Johanna. O problema é que a história simplesmente não conseguiu me cativar. Vamos saber mais do por que?

Do que se trata a história? O livro conta a história de Johanna, uma moça que ficou casada durante três longos anos com um homem muito cruel, onde sofria humilhações e violência doméstica. Após a morte do marido, o irmão dela, Nicholas Sanders resolve casá-la com o líder dos MacBain, Gabriel, um guerreiro escocês e arrogante, mas que conseguirá proteger Johanna das artimanhas do Rei, que deixou bem claro que a moça esconde algo importante sobre ele. A princípio Johanna resiste a ideia mas acaba se casando com Gabriel, mesmo com muito medo dele e de sua força. Ao longo da história os dois vão se apaixonando, porém o Rei pretende eliminar as provas que Johanna tem contra ele, e que por sinal, iremos só descobrir ao longo da trama.

Em que página você parou? Parei na 148 só porque tentei ler muito a história.

O que achou da personagem principal? A princípio eu realmente gostei da Johanna, ela se mostrava uma jovem forte apesar da grande repressão que sofreu do marido, suas atitudes são totalmente respaldadas no livro. O fato dela ir contra Gabriel em várias decisões que ele tomou para com ela também ajudou bastante a eu gostar da personagem. Já o Gabriel também teve seus pontos comigo, o problema é que a maioria de suas atitudes são machistas em relação a sua esposa. Ele não queria que ela fizesse absolutamente nada, nem andar a cavalo a moça podia, e essas constantes brigas que no fim, faziam com que Johanna cedesse ao pedido dele, me irritaram. 

Por que resolveu abandonar o livro? A narrativa do livro simplesmente não funcionou pra mim. Não sei se é porque a tradução estava ruim mas senti que a autora jogou vários acontecimentos na história sem nexo e meio desnecessários, como se ela tivesse apenas preenchendo as páginas. Sem contar que algumas atitudes dos personagens me irritaram, e ora a coragem de Johanna para enfrentar o marido aparecia, ora ela sumia. A moça não conseguia ser firme em seu posicionamento e isso me decepcionou de alguma forma. Tentei levar a leitura pra frente mas não rolou.

E aí, algum de vocês já leu a obra e realmente conseguiu terminar a leitura?
Foto por Leitora Encantada

Batalha de capas: Jogos Vorazes - Suzanne Collins

Oi, gente! Faz tempo que eu não trago uma batalha de capas para vocês, mas eu  não esqueci não, é só que tem tanto post legal pra gente fazer que a gente acaba deixando de lado. Hoje o livro será a trilogia Jogos Vorazes, que fez muito sucesso e até mesmo teve adaptação. Eu tentei ler a obra mas sinceramente? Faltou muito para eu gostar dela, mesmo assim adorei os filmes que são muito bons :) 

CAPA BRASILEIRA

Essa é a capa brasileira que por sinal é a mesma que a da Espanha e a dos Estados Unidos. Eu não gosto muito dela porque acho-a muito simples, mesmo tendo o tordo em dourado.

CAPAS GRINGAS

Inglaterra: Eu acho a capa da Inglaterra muito poluída, são muitos elementos juntos num ambiente só, além dos tons de preto. Definitivamente não gostei.
Alemanha: A da Alemanha é bem diferente, me lembra muito a Era Venenosa. Curti muito não.
Holanda: Essa é uma capa bem bonita mas nem de longe você olha para ela e pensa que a história retrata uma distopia. Acho que para um romance funcionaria melhor.
China: Foi a melhor capa até agora. Acho ela bem bonita, além de não ser totalmente simples e ter os elementos necessários para fazer você lembrar de Jogos Vorazes.
Resumindo: prefiro mil vezes a da China, mas queria ressaltar que os capistas não conseguiram fazer um bom trabalho em relação a esse livro.
E vocês, qual acharam melhor? Não esqueçam de votar!



CAPA VENCEDORA DO DESAFIO ANTERIOR: