Facebook

Coraline - Neil Gaiman | Resenha

A jovem Coraline acaba de se mudar para um apartamento num prédio antigo. Seus vizinhos são velhinhos excêntricos e amáveis que não conseguem dizer seu nome do jeito certo, mas encorajam sua curiosidade e seu instinto de exploração.
Em uma tarde chuvosa, a menina consegue abrir uma porta que sempre estivera trancada na sala de visitas de casa e descobre um caminho para um misterioso apartamento ‘vazio’ no quarto andar do prédio. Para sua surpresa, o apartamento não tem nada de desabitado, e ela fica cara a cara com duas criaturas que afirmam ser seus “outros” pais. Na verdade, aquele parece ser um “outro” mundo mágico atrás da porta. Lá, há brinquedos incríveis e vizinhos que nunca falam seu nome errado. Porém a menina logo percebe que aquele mundo é tão mortal quanto encantador e que terá de usar toda a sua inteligência para derrotar seus adversários.
Fantasia, ficção, infanto-juvenil, suspense e mistério, terror | 155 páginas | Editora Rocco Jovens Leitores |
Comentei com vocês que há algum tempo atrás estava procurando Coraline para leitura, mas ele é incrivelmente um livro difícil de encontrar, até que em um golpe de sorte consegui achar um exemplar na Fnac e não perdi tempo, levei ele pra casa. Coraline é um livro que deu origem ao filme de mesmo nome bem famoso, que por sinal, é um dos meus filmes favoritos. O interessante na trama é que você não sabe bem se a obra é destinada ao público infantil, já que ele mistura um pouco de terror e algumas cenas bem macabras a lá Tim Burton no longa, então deixemos essa dúvida no ar.

O fato da gente querer ler algo que deu origem a um filme que amamos faz com que a gente crie certa expectativa e talvez seja por isso que a obra tenha de certa forma me decepcionado um pouco. Isso porque o ritmo do livro é bem mais acelerado, não tem tanta profundidade como vemos no filme (obviamente).
Foto por Leitora Encantada

Irresistível - Jessica Bird | Resenha

A conservadora de arte Callie Burke não está contente com a sua lucrativa nova missão. Restaurar uma obra-prima adquirida pelo implacável magnata Jack Walker devia ter sido o projeto de uma vida. Mas o problema não é o quadro - é que o sensual proprietário é uma obra de arte perfeita de seu próprio direito. A atração é recíproca, mas Callie sabe que misturar negócios e prazer é má idéia - e não apenas porque ela não pertence àquele mundo de privilégios: ela tem um segredo a esconder... um segredo que deve permanecer enterrado. No entanto, depois de se mudar para a mansão de Jack para fazer o trabalho, a centelha inegável entre ambos transforma- se numa paixão que tudo consome... e o passado oculto dela ameaça destruir qualquer possível futuro para eles. Ao dar nova vida ao quadro, Callie sabe que o seu tempo com Jack é limitado... a menos que o amor possa de alguma forma encontrar uma forma de transformar um solteirão inveterado no marido dos sonhos dela.
Romance | 344 páginas | Editora Quinta Essência |
Depois que eu terminei Um romance inesquecível, eu fui correndo procurar o segundo volume da série, que conta a história de Callie Burke, a meia-irmã de Grace e Jack Walker, um CEO importante e incrivelmente rico. Os dois já aparecem no primeiro livro, então já sabemos que Jack acaba de noivar com Blair, porém, apesar de formarem um belo casal, ambos sabem que ele não a ama, mas seus planos já estão feitos e nada o fará mudar de ideia, até que ele conhece Callie.

Callie é uma conservadora de arte e acaba se aproximando de Grace após revelar a ela que é filha do mesmo pai, fruto de anos de um relacionamento escondido de todos. Callie sempre se sentiu rejeitada pelo pai, ele nunca a olhou nos olhos e nem apareceu em nenhum dos seus aniversários. Então desde pequena Callie sabia que a identidade do seu pai tinha que ser mantida em segredo, e se acaso um dia descobrissem que ele tinha uma filha fora do casamento, o escândalo seria total. A falta de um pai amoroso e o orgulho da mãe fizeram com que a moça crescesse sem regalia alguma, por isso ela lutou para se formar e conseguir um emprego decente. Mas já faz dois anos que sua mãe morreu e ela acaba de perder o emprego, até que Jack é apresentado a ela por Grace e lhe faz uma proposta: fazer um trabalho em um Copley, um quadro que Jack tem orgulho de ter comprado.
Foto por Leitora Encantada

Solteira até sábado - Catherine Bybee | Resenha

Karen Jones: a loira estonteante se casou com um astro de Hollywood, porém é ela quem desempenha diariamente um papel — o de esposa feliz. Um ano atrás, ela concordou em se casar com um ator famoso para dissipar rumores sobre a vida pessoal dele. Agora seu divórcio se aproxima, assim como um pagamento de cinco milhões de dólares. No entanto, conforme Karen se prepara para abandonar com elegância seu casamento arranjado, ela conhece o cunhado, um homem lindo de morrer. Zach Gardner: o pedaço de mau caminho de cabelos escuros e olhos azuis aparece sem ser convidado na festa de um ano de casamento de Michael e Karen, determinado a conhecer a esposa que seu irmão escondeu da família inteira. Mas faíscas voam no instante em que ele e Karen se encontram. Quando o casal famoso decide visitar a família Gardner, Karen precisa esconder o segredo do marido e de seus parentes bisbilhoteiros... incluindo Zach, o homem que talvez seja o verdadeiro amor da vida dela.
Romance | 266 páginas | Editora Verus | Nota: 
A escrita da Catherine Bybee tem feito muitos fãs nos últimos meses, e eu não poderia esperar mais para ler o quarto livro da série Noivas da Semana. Quem conhece e já leu o terceiro livro, sabe que Karen Jones acabou aceitando se casar com a estrela de Hollywood, Michael Worthe, isso para evitar que sua sexualidade fosse descoberta, já que poderia trazer vários problemas em sua carreira. Em Solteira até Sábado um ano se passou e agora eles já estão se programando para a grande festa de divórcio daqui há seis meses, mas nenhum dos dois esperava que o irmão mais velho de Michael, Zach Gardner, iria aparecer de repente em sua casa.

Por terem um acordo de casamento, Michael nunca se preocupou em apresentar Karen a sua família já que depois de algum tempo, ambos estariam separados. Mas sua família se ressentiu dele já que o casamento dele foi uma grande surpresa, e Zach chega com um ultimato: ou ele volta para a pequena cidade de Utah visitar a família, ou a família irá até ele. E mesmo amando muito seus pais e seus irmãos, Michael sente que uma grande confusão aconteceria se seu pai resolvesse aparecer em Los Angeles, por isso ele resolve ir.
Foto por Leitora Encantada

Diário de uma ex-adolescente nerd: Mudar é necessário

Oi gente, como vai? Hoje o post de hoje tem um pouco a ver com aquele sobre fases, principalmente a da adolescência, que convenhamos, nunca será a melhor fase para alguém. Nem preciso dizer que o tema hoje será um pouco mais sério, isso porquê pretendo disseminar que mudanças são realmente necessárias, e ás vezes ela sempre vem para o bem, mesmo que aparentemente pareça para o mal.

Mudar é necessário

Todo ser humano evolui, certo? E a partir do momento que a gente começa a pensar com a própria cabeça e ter suas próprias influências, fica mais fácil tomar decisões sobre o que quer se fazer da vida. Eu sempre fui uma garota cheia de amigos, principalmente homens, que não levava desaforo pra casa, dormia na sala de aula mas conseguia passar facilmente nas matérias. Meus gostos sempre foram os mesmos: rock e um pouco de rebeldia nas veias.

Hoje, com 20 anos, tanta coisa mudou que quando a gente vai pensar a respeito, parece que sou outra pessoa. Ainda tenho muitos amigos homens, mas virei tímida em relação a algumas coisas e hoje já não tenho vergonha de outras, meu gosto musical ficou mais indefinido que tudo, porém, a essência não se perde. Acho que se meu primeiro namorado me conhecesse hoje, ele teria dito que eu perdi meus verdadeiros valores, já que aquela garota de 15 anos que ele conheceu não existe mais. Pra quem detestava funk e hoje tenta até dançar é notável que algo mudou. E eu sempre via as mudanças como algo bom, mas que para as pessoas ao redor era ruim. O fato é que as pessoas não gostam de imprevisibilidade, elas preferem lidar com você sabendo como você é. E talvez meu eu hoje incomode muitas pessoas que eu conheci quando mais nova, e eu até posso me senti culpada em relação a isso, mas gente, mudar é extremamente necessário!!!

Esses dias vi um post no blog da Alê, sobre se aceitar como é, e percebi que pra gente se aceitar, é preciso que constantemente aceitar que as mudanças que irão acontecer em nossa vida são para nos acrescentar algo. Antes eu realmente me ressentia por não ser mais do jeito que eu era, hoje eu dou graças a Deus que a evolução tomou conta de mim porque socialmente falando, eu era mais um homem das cavernas, totalmente intolerante com algumas coisas e muito crítica com elas. 

E por isso, vou listar algumas mudanças brutais na personalidade que hoje me fazem ser quem sou:
🔼Eu parei de ser tão preconceituosa com o gênero musical, assim ao invés deu ficar só escutando um certo tipo de música e me definindo como uma pessoa só, hoje posso desfrutar do que eu bem quero
🔼Também deixei de ser trouxa em relação ao sexo masculino. Eu era tão besta quando mais nova que qualquer elogio me fazia sorrir, isso mostra o quanto minha auto estima era de uma criança de 2 anos (não que eu recebesse muitos elogios 👀)
🔼Parei de ser tão sensível. Veja, ser sensível é muito bom, mas quando se tem uma personalidade frágil, qualquer coisa nos magoa. E agora meu apelido é #FROZENHEART
🔼Deixei de ser tão dark. Acho que por ficar sempre com muitos meninos, eu era meio bruta e grossa em algumas coisas, mas agora sou completamente de humanas e muito sociável ❤
🔼Me aceitei do jeito que sou. Sem peito, magra demais, com cabelo ruim mas de bem com a vida e comigo mesma :)

E vocês, querem listar algumas das mudanças mais importantes na vida de vocês?

Um romance inesquecível - Jessica Bird | Resenha

As mulheres mais influentes de Manhattan estão sendo assassinadas e Grace, uma linda herdeira da alta sociedade e famosa por sua fabulosa fortuna, é um possível alvo. Relutante, porém vulnerável, ela contrata John Smith para ser seu guarda-costas: um homem intransigente que está disposto a tudo para protegê-la. Ao mudar para o apartamento de Grace o sentimento entre eles começa a mudar. Ela se sente atraída por John, que dita as regras para sua segurança. E ele também não contava com esse desejo incendiário que o tira de qualquer lógica racional. Enquanto as noites de verão começam a ficar cada vez mais quentes, Grace e Smith precisam enfrentar uma escolha crucial: seguir os mandamentos profissionais para afastá-la do possível assassino ou se entregar ao sentimento dessa paixão ardente.




Ficção, romance | 352 páginas | Editora Universo dos Livros 
Tem quase um ano que eu comprei esse livro na Bienal no ano passado mas nunca o li, e no meio de um súbito ataque de necessidade de ler coisas mais românticas, resolvi pegar ele para ler. Não vou dizer aquele velho clichê de como deveria ter lido o livro antes, mas posso ressaltar que gostei bastante da leitura, além de ter a incrível J.R. Ward como Jessica Bird nos dando o ar de sua graça.

A história conta sobre Grace Hall, mais conhecida como Condessa Von Sharone devido a seu recente casamento com um conde. Grace é uma mulher privilegiada, rica, bonita e incrivelmente sexy, mesmo que ela mesma nunca tenha acreditado em seu potencial. Em um evento desses que sua presença seria obrigatória, ela conhece um homem que abala suas convicções e deixa sua cabeça turva. Tudo o que eles trocam são farpas e no final, um beijo avassalador e cheio de desejo, mas Grace sabe que está a cometer um erro e o melhor seria esquecer esta pessoa que sequer sabe o nome.
Foto por Leitora Encantada