05 maio 2018

Doce Amargo: Livro II - Evelyn Santana | Resenha


Para Melinda Blackwell, descobrir que seu casamento era apenas uma farsa foi a coisa mais dolorosa que poderia ter lhe acontecido. Os beijos que ela tanto amava, os toques que a enlouqueciam… nada disso era real. Ela não teve escolha, a não ser pedir o divórcio. Agora precisava seguir em frente, dando tudo de si para que a dor que Robert lhe causara não a transformasse numa pessoa irreconhecível.
Enquanto Linda batalha para reconstruir sua vida, Robert se dá conta de quão errada a vida dele parece sem a esposa ao seu lado.
Sozinho na mansão Blackwell, sem nunca ter alguém com quem dividir um momento importante, ele é frequentemente transportado para os dias leves e felizes que Linda costumava lhe oferecer.
Romance, nacional | 333 páginas | Editora Essência Literária 

Assim que terminei o primeiro volume de Doce Amargo, eu sabia que iria amar o volume dois, já que amo enredos com recomeços, reencontros e pedidos de desculpas, e Doce Amargo II cumpriu muito bem esse propósito. Eu chorei, me irritei, me emocionei e até acreditei que tudo estaria perdido no fim, mas a Evelyn conseguiu fechar esse romance da melhor forma possível, e vou contar para vocês como ela fez isso.

Após ter descoberto que seu casamento com Robert foi baseado em uma mentira, ele precisava casar-se com alguém para conseguir a herança do pai, Linda some de vez da vida dele. O rompimento não é nada fácil, não bastava isso, ela ainda precisa lidar com a traição de Robert e Susan.

Precisando de um novo recomeço, Linda muda de emprego, casa e até mesmo começa um novo relacionamento com Will, um homem totalmente diferente de Robert e igualmente melhor que ele. Essa nova fase é para dar forças que Linda precisa para superar o que aconteceu, mas ela ainda se sente abalada com o fim de seu falso casamento, e mesmo que não queira admitir, ainda ama Robert e sente muito sua falta.
Robert começa a se descobrir apaixonado por Linda, mesmo que ele mesmo não saiba definir isso. Ele sabe que ela está muito melhor sem ele, mas o que fazer para aplacar a dor que sente toda vez que pensa nela? Todo o amor e devoção de Linda para com ele era algo que o assustava, agora ele sente imensamente a falta disso em sua vida. Após um empurrãozinho de Lizzie, Robert resolve ir atrás de Linda e tentar acertar as coisas. Mas parece que agora ela está realmente feliz ao lado de outra pessoa. Será que já o esqueceu? Pode ele e Linda terem um final feliz em meio a um começo tão errado?

O enredo desse livro é um completo clichê, mas ele é tão lindo e tão cheio de reviravoltas que você sente impelido a continuar lendo, e foi assim que me vi as 5h da manhã, cheia de olheiras de tanto chorar, terminando essa obra. Doce Amargo é simplesmente maravilhoso! Se no primeiro livro eu reclamei que a narrativa era centrada somente no casal, já nesse volume a autora conseguiu desenvolver perfeitamente bem os outros personagens e suas relações.

Linda passa a morar com Christine, sua amiga. O leitor consegue perceber melhor a amizade das duas, assim como a de Linda com Javi, além de ter outros personagens que irão adentrar na trama e mudar o enredo, e sim, eu amei todos! Linda é aquela personagem que me irrita mas que me faz amá-la. Suas atitudes me incomodaram, e muito, mas eu sentia uma vontade enorme de abraçá-la e afagar seu cabelos ao mesmo tempo que queria gritar com ela. O fato dela ter se envolvido com Will com apenas dois meses de separação não me passou despercebido. Pra quem dizia amar loucamente alguém, ela conseguiu se envolver com ele até bem depressa, o que me irritou profundamente. Mas eu estava pensando aqui... quantas pessoas eu conheço que terminam relacionamentos e já entram de cara em outro para superar o antigo? Não tá no papel o tanto que isso ocorre, e mesmo não concordando (porque eu acho que existe sim um momento pós-término), eu entendi suas motivações e até mesmo gostei dela seguir em frente, sem ficar se lamentando pelos lados por causa de Robert, apesar dela fazer muito isso, acredite.
Ainda assim amei a personagem. Ela é verdadeira, real, mas sua ingenuidade me matava. Ela se colocava contra Robert muito fácil, sem ouvir as motivações dele, e convenhamos, Linda é a definição de trouxa, porque ainda quebrando a cara com as pessoas, ela conseguia pensar o melhor delas, mesmo que nós, todo mundo e até os personagens da trama soubessem que ela ia acabar se decepcionando de novo.

Robert é o personagem que tem mais desenvolvimento na trama. No primeiro livro ele era muito fechado e sisudo, e nesse volume ele faz de tudo para reconquistar Linda, abdicando do orgulho e correndo realmente atrás daquilo que queria. Seu maior problema na trama é não falar aquilo que realmente sente, o que poderia ter evitado um montão de problemas. Eu também me irritei com ele, mas gostei muito mais dele do que de Linda, eu tenho um fraco por personagens apaixonados, eu confesso.
O livro é enorme e esse vai e vem dos personagens pode se tornar cansativo, mas é tanta coisa na trama que eu até entendo que a autora quis deixar os melhores momentos para o final. E como comentei acima, chegou uma fase do livro, onde faltava somente 20% para terminar a leitura, que eu chorei muito. Juro, foi uma evasão enorme de sentimentos, cenas que mexeram comigo, me fizeram querer abraçar Robert e Linda e fazê-los ficar juntos logo de uma vez.

Eu sou do tipo que adora enredos com perdão, mas confesso que sou apaixonada por tramas onde um quer e o outro não, aí depois o outro acaba querendo enquanto o que queria já não quer mais. Eu sou fisgada por enredos assim, esse jogo de gato e sapato me instiga a ler e Doce Amargo conseguiu me fisgar assim.

Os personagens secundários tem grande papel nesse volume, o que eu gostei porque podemos conhecer melhor eles, principalmente Christine, que também muda muito desde o primeiro livro. Lizzie também me surpreendeu demais, e ela foi protagonista da cena que mais me fez chorar (esse óscar é seu, Lizzie), também temos os fofos Sophie e Matt, que conseguem sempre roubar a cena.

A Evelyn conseguiu ver todos os problemas que Doce Amargo tinha e desenvolveu-os no livro dois, e se você parar para pensar, é uma diferença gritante. O livro está muito bem planejado, com os diálogos certos, capítulos curtos e personagens mais cativantes ainda. É um livro maravilhoso para quem gosta de um romance gostoso, que faz a gente querer morrer sem saber o que vai acontecer com o casal principal. Eu adorei e indico muito!

16 comentários:

  1. Apesar de não ser muito fãs de clichês, senti uma vontade enorme de ler esse livro, parece ser uma narrativa que mexe muito com os seus sentimentos, fiquei bem curiosa para conferir os dois livros!

    www.estante450.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cássia
      A autora soube conduzir a história muito bem, e mesmo que o enredo seja tão comum, esse livro é de uma forma especial.

      Excluir
  2. Oi Mi,
    AH, essa série... *-*
    Sou apaixonada por essas capas, infelizmente, não li, mas sei que vou amar porque a premissa me agrada demais!
    Beijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ale
      Tenho certeza que você irá adorar tanto quanto eu, pelas resenhas que sempre posta de alguns livros.

      Excluir
  3. Mi, a gente tem um gosto muito semelhante porque eu tb amo enredos assim. Eu já tinha visto uma resenha falando super bem do livro e agora mesmo que quero ler!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mi
      HAHA, viu somos gêmeas ahahha esse livro é maravilhoso, eu adorei demais ele!

      Excluir
  4. Oi, Mi!
    Menina, essa história realmente mexeu contigo hein? Eu sou meio assim com enredos desse jeito, mas ao que parece a autora sabe mesmo te fisgar. Anotei a dica.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lu
      É sempre bom a gente ler algo assim, bom pra se sentir emocionado com coisas pequenas, por isso gostei tanto da história

      Excluir
  5. Oi Mi, está parecendo eu finalizando O Ceifador rs. Terminei as 3 da madrugada, uns dias atrás, e ia trabalhar, mas como parar? Quando o livro é bom, tem momentos que simplesmente você não consegue parar. Eu gostei muito deste enredo que você nos indicou na resenha, Adoro casais que ficam nessa de que um quer e o outro não e vice versa, dá mais emoção e nos preenche. Xero!!!

    https://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dih
      Eu adoro demais enredos assim, pra mim são muito divertidos porque eu sinto na pele o que os personagens sentem, e não tem sensação melhor.
      Também fiquei acordada até muito tarde, no outro dia nem consegui ir pro trabalho, dormi demais.

      Excluir
  6. Oi, Mi

    Também adoro histórias sobre recomeços.
    Começar um relacionamento dois meses após o término de outro realente é meio bizarro, mas é como você falou, há pessoas que fazem isso para tentar superar o amor antigo, o que é super errado. Meu relacionamento terminou em novembro e aqui estou eu ainda me remoendo toda! hahahahaahah Tô rindo, mas é foda.
    Que bom que neste volume mais personagens foram explorados. E menina, agora tô aqui curiosa para saber o que te fez derramar tantas lágrimas! hahahhaah

    Beijo
    - Tami
    Blog Meu Epílogo | Instagram | Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tami
      Eu tenho um fraco enorme por cenas que tem aquela pontada de mágoa, onde você sabe que o que você falar vai acabar com aquela pessoa, e eu gosto porque sofro KKKK Vai entender!

      Términos são foda, eu terminei o meu já tem 5 anos e nunca mais namorei. Esses dias tava lembrando do olhar do ex, é triste mas a gente supera.
      Beijos!

      Excluir
  7. Oi, Mi! Tudo bem?

    Sério, ao acessar o seu blog e ver a resenha de Doce Amargo II não pude resistir e tinha que vir você se você tinha gostado, porque eu amei. Doce Amargo I foi um dos melhores livros lidos meu do ano passado, mesmo também achando que os coadjuvantes tinham que se desenvolver mais, no entanto, eu me apaixonei pela história e o segundo só confirmou isso ainda mais.
    Eu não gosto de clichês, mas esse da Evelyn é realmente maravilhoso, ela consegue tornar a história tão dela que parece não ser um clichê e isso me envolveu muito. Fico muito feliz que você também tenha gostado da história. Linda e Robert são maravilhosos <3

    Amei a resenha,
    Beijos,
    Magia é Sonhar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gabs
      Eu deveria te agradecer porque foi lá no seu blog que a autora resolveu falar comigo a respeito do livro.
      Eu simplesmente amei essa duologia, achei que mesmo uma história tão simples foi muito bem desenvolvida. Amei os personagens e a autora foi espetacular.

      Excluir
  8. Oie
    Também fechei parceria com a autora faz pouco, mas ainda não li os livros. Estou bem curiosa, pois vejo sempre comentários muito positivos sobre as obras. Quero ler em breve.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nessa
      Tenho certeza que você vai gostar, eu adorei todos os dois!

      Excluir

Não esqueça de deixar seu comentário, assim poderei saber se gostou ou não do post.
Aproveite e deixe seu link, para que eu possa retribuir sua visita! ❤