Lições de sedução - Blythe Gifford | Resenha


Ansiosa para viver com independência, Jane de Weston se disfarça como um rapaz. Mas ela não esperava sentir uma forte atração por Duncan. Sensações deliciosas percorrem seu corpo feminino. Quando ele descobre acidentalmente a verdadeira identidade dela, sabe que deveria mandá-la embora... mas concorda em guardar seu segredo! Jane possui o dom de iluminar os recônditos sombrios do coração de Duncan, despertando nele o desejo de ensinar à dedicada pupila os refinados prazeres de ser uma mulher...
Romance | 286 páginas | Editora Harlequin Brasil 

Jane de Weston é filha bastarda do antigo rei Edward e uma de suas amantes, Alys de Weston. Durante muito tempo ela carregou em suas costas o peso de ser filha de uma prostituta, além das incontáveis vezes que a mãe a obrigou a agir com decoro e uma boa conduta.

Solay, sua irmã mais velha, é a perfeita dama da sociedade. Mas Jane não é assim. Prestes a ser apresentada a seu futuro marido, ela se sente presa as saias que precisa usar e nem um pouco feminina. Seu sonho é fazer faculdade e poder trabalhar para o rei atual, honrar o nome de sua família. Em um ato de desespero, Jane acaba fugindo disfarçado de menino. Ela vai direto a Cambridge, lugar onde se encontra as melhores universidades de toda Inglaterra.

Se passando por John, Jane precisa melhorar seu latim para ingressar na faculdade e acaba conseguindo a ajuda de um dos mestres, Duncan, que promete ensiná-la. Duncan é um dos moradores do Norte, fronteira que constantemente precisa se defender das investidas dos escoceses. Ele chega a Cambridge com a esperança de conseguir mais reforços e dinheiro para libertar seu pai, que foi preso pelos escoceses e exigem resgate. Mas as audiências com o rei e o Parlamento não andam boas, e enquanto ele planeja um novo jeito de se reencontrar com o rei para pedir novamente o dinheiro, ele se compromete em ajudar John, um garoto franzino e mirrado que ele encontrou vagando pela estrada.
A cumplicidade que John e Duncan tem um com o outro logo cresce, mas a feminilidade de Jane começa a se fazer presente. A atração que ela sente por Duncan começa a se tornar insuportável, mas será que Jane conseguirá esconder sua identidade por mais tempo?

Lições de Sedução foi minha última leitura, pra não falar a primeira depois de um longo tempo. Não sei se estou com ressaca literária mas o fato é que nenhuma leitura tem me chamado atenção, então tive que praticamente engolir a obra até o fim. Jane é uma personagem diferente da maioria. Ela não se sente bem sendo uma mulher, na verdade, acredita que Deus errou ao criá-la. Se você acha que iremos ver uma protagonista transgênero aqui, você está enganado. Jane realmente não é boa nas questões femininas, mas ainda sente desejo pelo sexo oposto como qualquer outra mulher. Ela precisa se conhecer melhor e crescer para se aceitar como é e ao longo do livro vamos percebendo esse desenvolvimento por parte da personagem. O fato de ser mulher naquela época era sinônimo de ser subjugada pelos homens, por isso Jane quer desesperadamente fugir disso. Ela acredita que os homens são privilegiados, mas durante a narrativa a personagem irá perceber que nem tudo é tão simples e fácil assim na vida dos homens. 

Duncan tem questões mais profundas a serem exploradas no livro. Ele se sente responsável pelo povo do Norte e ainda mais por seu pai, com quem não nutre uma boa relação. A atração que sente por John no início é estranhada por ele e isso rende alguns momentos engraçados durante a narrativa. Gostei do personagem muito mais do que Jane.
É notável na história o quanto as relações de homem e mulher são exploradas, além da diferença entre eles. Mulheres são treinadas para aceitar tudo o que os homens dizem para elas, ainda mais em 1388, época que é narrada a trama. Mas como falei acima, não é só essa visão que encontramos na história. Vemos o fardo que os homens tem que segurar só por serem homens, como prover o sustento da casa, lutar nas guerras e etc.

Como o livro é datado em outra época que não o séc. XIX como já estamos acostumados em outras tramas, vemos muitas questões histórias na obra, como o fato dos escoceses lutarem contra os ingleses. Isso ficou um pouco confuso pra mim mas acredito que a autora soube explorar bem esse quesito na trama.

Infelizmente o início da leitura foi muito arrastado e eu não conseguia gostar das atitudes de Jane, sempre fugindo e tentando ser algo que ela claramente não era. Foi só a partir do finalzinho que comecei a realmente gostar da trama. Achei a narrativa um pouco difícil de entender, e como foi meu primeiro contato com a autora em questão, isso pesou muito durante a leitura. O final também foi corrido. Todos os problemas que a autora foi trabalhando durante a obra foram rapidamente resolvidos no final, ficou faltando mais desenvolvimento.
Fora isso, gostei da obra. Acho que não foi uma leitura mais prazerosa devido a esse limbo em relação as leituras que me encontro no momento. Mesmo assim indico para quem gosta de romances de época.

Comentários

  1. Oie
    Eu curto muito romances históricos ainda mais quando traz como pano de fundo a guerra de Ingleses e Escoceses. Olha, pode ser que a leitura não foi bem o que esperava por você estar nesta fase tentando sair de ressaca literária e as vezes parece que nenhum livro nos agrada. Eu fiquei interessada na obra, o enredo me agradou.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nessa
      Acho que foi justamente por isso que não gostei muito da trama, mas acredito que você com toda certeza fará proveito da leitura.

      Excluir
  2. Hi! lovely blog:D If you want to follow each other blogs please come to my blog and tell me, ill follow you instantly!
    https://leerenlaluna.blogspot.com.es

    ResponderExcluir
  3. Oi Mi, tudo bem? Eu ando lendo pouco tb, estou pensando que tb estou de ressaca literária, é triste rsrsrs Parece uma leitura razoável, não sei se leria no momento, mas achei a protagonista mega interessante!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mi
      Eu acho que talvez a leitura pudesse ter sido mais proveitosa em outro momento, não agora.

      Excluir
  4. Oi, Mi! Tudo bom?
    Essa questão de diferenças entre mulheres/homens se não é MUITO bem abordada e crível, não tenho paciência pra ler. Acho que até hoje, só Outlander conseguiu me prender na leitura, talvez por mostrar que mesmo com as diferenças dá pra ter personagens femininas fortes não aceitando os desaforos dos homens.
    E por ser arrastado, vou deixar passar esse livro.

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Denise
      Acho que a autora abordou bem essa parte, mas no fim não conseguiu desenvolver bem a história, o que não curti.

      Excluir
  5. Oi, Mika!
    Eu não consegui pensar nesse livro como algo que eu leria. Não sou muito fã dessas capas e sua resenha não me animou muito. Principalmente, por ter sido um livro que só te prendeu no finalzinho. Não, acho que ainda tenho leituras mais importantes antes de chegar o momento desse haha
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mari
      Eu também detesto essas capas mas tudo que a harlequin publica eu tento ler, pena que neste momento não gostei muito.

      Excluir
  6. Oi, Mi

    Eu também não estou lendo muito, mas no meu caso é falta de tempo mesmo. Rss
    Não conhecia o livro, mas achei super bacana o fato dele se vestir de homem e do Duncan se sentir atraído por "ele", deve ser mesmo engraçado! Hahahah
    Que pena que houve essa parte confusa e essa correria, mas acho que leria.

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tami
      Eu tô naquela preguiça de ler seguido as provas da faculdade, tem sido frustrante demais pra mim
      Mas eu curti essa parte do enredo, só o final que foi num piscar de olhos.

      Excluir
  7. Miriã
    Mesmo que eu não goste do livro, eu "engulo a obra até o fim" (gostei desta expressão). Eu quase não leio livros de banca, mas não é preconceito não, pois muitas histórias, como os livros da Julia Quinn iniciaram como livros de banca. Esta semana fiquei sabendo que a Harlequin não vai mais lançar livros de banca e isso me deixou triste, pois era viciada neste tipo de livro minha juventude. Como as videolocadoras, mas um costume é erradicado pela tecnologia. Uma pena.
    Abraços,
    Gisela
    Ler para Divertir

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Não esqueça de deixar seu comentário, assim poderei saber se gostou ou não do post.
Aproveite e deixe seu link, para que eu possa retribuir sua visita! ❤