Vinte garotos no verão - Sarah Ockler | Resenha

Quando alguém que você ama morre, as pessoas perguntam como você está, mas não querem saber de verdade. Elas buscam a afirmação de que você está bem, de que você aprecia a preocupação delas, de que a vida continua. Em segredo, elas se perguntam quando a obrigação de perguntar terminará (depois de três meses, por sinal. Escrito ou não escrito, é esse o tempo que as pessoas levam para esquecer algo que você jamais esquecerá).As pessoas não querem saber que você jamais comerá bolo de aniversário de novo porque não quer apagar o sabor mágico de cobertura nos lábios beijados por ele. Que você acorda todos os dias se perguntando por que você está viva e ele não. Que na primeira tarde de suas férias de verdade você se senta diante do mar, o rosto quente sob o sol, desejando que ele lhe dê um sinal de que está tudo bem.
Jovem adulto | 288 páginas | Editora Novo Conceito 

Duas garotas dispostas a seguir em frente e conhecer vinte garotos no próximo verão... Anna Reiley, Frankie e Matt Perino são melhores amigos desde sempre, até que uma tragédia acontece e Matt morre, deixando as duas garotas desoladas. Frankie por ser irmã dele, Anna por ter sido sua namorada durante um mês escondido de todo mundo. Um dia antes dele morrer, Matt e Anna decidem que vão contar a Frankie a situação sobre eles, mas desde que o garoto morreu, Anna vive com o segredo entalado dentro de si e em seus diários, onde pode despejar toda a culpa por não contar nada a sua melhor amiga.

Um ano se passa e a família Perino resolve voltar ao lugar onde eles passam todos os verões, Baía de Zanzibar, na Califórnia. Tudo o que envolve a viagem é tenso e diferente, já que dessa vez estarão levando Anna no lugar de Matt. A amizade entre as meninas mudou, Frankie não é a mesma garota inocente de antes, e agora que o verão começou, elas tem um projeto: conhecer vinte garotos no verão e quem sabe, um deles irá tirar a virgindade de Anna. 
Muitas revelações, escolhas e descobertas farão que essas duas garotas coloquem à prova sua amizade, assim como trazem à tona segredos que ambas querem deixar escondidos. 

Vinte garotos no verão é um livro fofo e delicado, que fala sobre perda, luto, superação, primeiro amor e amizade. Anna é uma personagem muito carismática, que sofre com a perda de alguém querido mas também sofre com o segredo que guarda. Ela tenta ser o elo forte para lidar com Frankie, já que os próprios pais da garota ignoram as coisas que ela faz, como fumar e ficar correndo atrás de garotos.

Frankie é uma personagem quebrada, que precisa se reencontrar para seguir em frente. O fato de ter perdido um irmão que era próximo a ela é muito intenso, mas também senti raiva com suas birras, o jeito de lidar com a situação. Sem contar que em alguns momentos percebemos que ela coloca a culpa em Anna pela garota sentir a falta de Matt, o que me faz pensar que não é só porque alguém não é da família que ela não sinta a perda de alguém, então foda-se se você é irmão, pai e mãe, tem amigos, namorados, conhecidos que podem sofrer o tanto que você, não se pode diminuir a dor de alguém.
Mas ao longo da narrativa vemos o desenvolvimento da garota, tenho certeza que ela é a que mais muda, mesmo que suas atitudes provem o contrário. É legal ver essas duas forças colocarem sua amizade em xeque, mas lutarem para seguir em frente juntas.

Matt é um personagem que aparece pouco antes de morrer mas que tem grande peso na obra porque tudo ali lembra ele, ou algo que reflete uma coisa que ele faria. É como um fantasma que paira sobre a vida de Anna, e isso irrita ao mesmo tempo que faz nos entendermos. É muito difícil superar a morte de alguém, ainda mais quando você era apaixonada por essa pessoa. 
Anna se sente culpada por começar a gostar de outro cara durante o verão, ainda mais por ele ser um possível garoto que possa vir tirar sua virgindade. Será que ela não estaria traindo a memória de Matt? Mas como é comentado na obra, as coisas não mudam, elas só se transformam em algo melhor. E foi ótimo ver a garota enfim seguir em frente, abrir seu coração para outra pessoa, afinal, ela só tem 16 anos e ainda é muito nova pra ficar presa a amores do passado, ao mesmo tempo que foi melhor ainda ver o quanto ela ainda ama Matt, respeita sua memória, mas não se deixa afundar por causa dele.

O livro foca na superação dos pais de Frankie também, porque eles perderam um filho, precisam lidar com a personalidade da filha que anda mais volátil que tudo, e ainda lidar com a crise no casamento. Não é feito de forma aprofundada, mas vemos que durante a narrativa algo ali tem sido trabalhado.
A autora tem uma escrita simples, poética e que consegue facilmente nos cativar. Eu adorei os personagens, até mesmo as chatices de Frankie, e acho que é um ótimo jovem adulto para quem quiser ler algo mais despretensioso, porém não tão bobo, sabe?
Postado por Miriã Mikaely

Comentários

  1. Oii Miriã

    Quero ler esse livro faz tempo, parece ser tão carregado de sensibilidade que tenho certeza que irei me emocionar.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI, Ivy
      Ele é um livro bem legal, talvez um pouco parado, mas eu gostei muito pela forma sensível que fala com o leitor.

      Excluir
  2. Oi, Mi

    Tinha até esquecido da existência desse livro para te falar a verdade.
    Realmente concordo com o que você falou, não podemos diminuir a dor do outro, não importa o tipo de conexão.
    Acho que se eu ganhasse de presente eu leria, não seria um livro que eu compraria, sabe?

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tami
      Haha eu comprei só por 10 reais hsuashaus mas eu entendo seu ponto KKK Mesmo assim gostei muito dele.

      Excluir
  3. Oi Mi! Eu tinha visto um post de quando você comprou o livro e poucos dias depois achei ele em promoção perto da faculdade e comprei também. Ainda não comecei a ler, mas fiquei animada agora que vi suas impressões positivas sobre a obra! ☺ Fico feliz em saber que a escrita é boa! Os Delírios Literários de Lex

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aléxia
      Que bom que você comprou, vou torcer para você gostar que nem eu.

      Excluir
  4. Respostas
    1. Oi, Lu
      Eu sempre achei o mesmo ahahaha isso só mostra o quanto a gente julga pela capa né?

      Excluir
  5. Olá! Confesso que tem certos momentos que eu não curto ler livros sobre perdas etc. Eu fico tão envolvida com a história que acabo sofrendo (muito) junto haha. Inclusive, já tem um bom tempo que não leio nada relacionado a este tema. Mas enfim, gostei da sinopse, acredito que, apesar de tudo, deve ser um livro agradável de ler. Irei guardá-lo na minha listinha! :D

    Beijos
    Cantinho da Escrita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lídia
      Eu gostei porque ele não traz esse peso pra narrativa, na verdade ele é bastante delicado, achei legal como a autora abordou o enredo. Espero que possa gostar.

      Excluir
  6. Oi, Mi! Tudo bom?
    Eita que ver esse livro me deu um flashback aqui. Eu nem lembrava dele, mas da capa sim! A arte me vende muito um YA daqueles bem fofinhos e água com açúcar, tô surpresa de ter sido diferente disso.

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Denise
      É legal se surpreender né? Eu sempre achei que os YAs fossem muito bobinhos, mas vejo que a maioria tem muito mais a mostrar, e isso é bastante legal.

      Excluir

Postar um comentário

Não esqueça de deixar seu comentário, assim poderei saber se gostou ou não do post.
Aproveite e deixe seu link, para que eu possa retribuir sua visita! ❤